Esqueceu a senha?

Os Horrores do Nazismo e o Vaticano

por Artigo compilado - sex ago 31, 9:17 am

  • Comentários desativados em Os Horrores do Nazismo e o Vaticano
  • 3481 views
  • Print

Sessenta anos após o término da II Guerra Mundial, Ratzinger ou Bento XVI, pede que “o horror do nazismo e do comunismo sejam lembrados”. Por que não, então, lembrar?

A história nos mostra a extensa atividade papal, previamente à II Guerra Mundial, na Alemanha, a qual, sem dúvida, culminou com a ascensão de Hitler ao poder. Essa atividade é muito bem descrita no capítulo dez do livro “The Vatican in World Politics” de Avro Manhattan.

Houve então, em 1929, o Tratado Laterano, entre Mussolini e PIO XI, que concedia inúmeras regalias à ICR, tais como isenção de impostos, imunidade diplomática, reconhecimento da Santa Sé como um Estado soberano, etc. Posteriormente, em 1933, uma concordata foi assinada na Alemanha, entre o Estado e a Igreja. E não foram Hitler e Mussolini os maiores ícones na morte de milhares de pessoas? Judeus, protestantes, ciganos, ortodoxos (principalmente por Pavelic, líder do partido facista Ustashi da Croácia), sem mencionar os jovens soldados aliados (centenas deles pracinhas brasileiros)? Creio que a declaração de Franz Von Papen, núncio apostólico e futuro vice-chanceler no governo de Hitler, ao jornal do partido, Volkischer Beobachter (Observador Popular) em janeiro de 1934, resume bem essa questão:
“O III Reich é o primeiro poder que, não apenas reconhece, mas põe em prática os altos princípios do papado”.

Então, vamos continuar lembrando…

Em 1945 com a vitória dos aliados, os nazistas seriam julgados e condenados por seus atos de barbárie, e, apesar de suas condenações não trazerem à vida os milhares dizimados, ao menos os soldados e demais sobreviventes poderiam sentir a alegria de que a justiça havia sido feita. Mas, infelizmente, os fatos nos mostram que não foi exatamente assim que tudo terminou. Então, vamos lembrar…

Durante o caos pós-guerra, muitos nazistas menos conhecidos, porém não menos terríveis, misturaram-se com facilidade entre os cidadãos comuns em Berlim. Assim, diferentemente dos oficiais mais divulgados pela mídia, que foram julgados no tribunal de Nuremberg, muitos conseguiram escapar. Segundo o livro “Into that Darkness” de Gitta Sereny, formou-se um esquema de fuga para ex-oficiais da SS, envolvendo o Vaticano através do Bispo Alois Hudal, que em 1945 foi escolhido por PIO XII para ser seu representante perante os falantes de alemão na Itália, mantidos em campos de internação. Assim, fez contatos importantes para estabelecer a rota e contou com a ajuda de governos latino americanos pró-nazistas, como o governo de Perón (através de sua esposa Evita), fazendo com que a Argentina passasse a ser a principal base operacional da rota de fuga na América Latina.

Em 1992, o então presidente Carlos Menen tornou públicos todos os arquivos existentes na Argentina referentes a refugiados nazistas. Os mesmos se encontram na Biblioteca Nacional do país em questão.

E quem não se lembra, que em 1985, foi encontrada numa cidade nas proximidades de São Paulo a ossada do médico / monstro Menguele, que amava fazer experiências macabras com gêmeos? Os arquivos referidos mostram que ele entrou na América Latina pela Argentina com nome e documentos falsos. Já, segundo declaração de Bill Gowen, ex-agente da inteligência americana, Ante Pavelic (chefe da Ustashi da Croácia), chegou a Buenos Aires em 1947, dois meses após Evita Perón conseguir uma audiência com o Papa, e “não teve qualquer problema lá”.

Mas haviam aqueles que eram extremamente úteis na recém iniciada guerra fria.Segundo declaração do também ex-agente da inteligência americana, Eugene Kolb, no documentário televisivo “Caçando Fugitivos Nazistas” do The History Channel, Klaus Barbie, chefe da GESTAPO na França ocupada e responsável por muitas mortes, também conseguiu abrigo seguro:
“A única coisa que sabíamos de Barbie e que nos embaraçava, é que ele era um ex-oficial da GESTAPO, o que era bastante constrangedor. Primeiro, por ter ligações com a GESTAPO, segundo, pela violação dos princípios que o levariam à prisão. Esses princípios ainda eram válidos e ele deveria ser preso, mas não foi. Não sabíamos que ele era um grande criminoso de guerra, e, em contrapartida, por ser de grande utilidade para nossa organização, não tivemos grandes dores de consciência”. E já não seria informação suficiente? Barbie foi encontrado em La Paz, na Bolívia e levado a julgamento em Lyon, palco de suas barbáries.
Na realidade, de uma forma ou de outra, todos nós somos sobreviventes dessa guerra. Há muita informação disponível, para que, a pedido de Ratzinger, nos lembremos dos “horrores do nazismo”. E temos que nos lembrar, mas nos lembrar da história verdadeira. Nos lembrar que por interesses de ordem política e religiosa, a justiça não foi completa. O sistema preferiu silenciar o caso e permitir que alguns desses temíveis criminosos vivessem confortavelmente como nossos vizinhos. E, o que dizer à geração que viveu os “horrores do nazismo”? Àqueles que foram sacrificados em campos de concentração, em suas próprias casas, abatidos pela fome , e àqueles que sacrificaram suas vidas nos fronts? Sim, nós nos lembramos. E agora, cabe-nos uma explicação. Mas, em respeito à nossa inteligência, não nos aderessem pedidos de desculpas pelos “erros do passado”.

Bibliografia:

The Vatican in World Politics – Avro Manhattan
Conspiração Mundial em Nome de Deus – Mary Schultze
Estudo do Apocalipse volume único – Edir Macedo
Enciclopédia Britannica

Textos consultados:

“El Asesinato de Juan Pablo I” – por Elias Bernard
www.herenciacristiana.com
www.bereanbeacon.org.

“Why didn’t the churches of Europe oppose the Holocaust” ?
Pesquisa dos alunos de Claremont Mckeena College para classe de
Ph.D Jonathan Petropoulos , professor.
www.hist.academic.claremontmckeena.edu/jpetropoulos/holocaust/index.htm

Videografia:

“Dead men’s secrets – Hunting Nazi Fugitives” – The History Channel 2002.
————————————————
Para saber mais sobre o Catolicismo – O CACP disponibiliza para você, por um preço especial, os seguintes produtos:

DVD
– A Rainha do Céu: Nesse DVD o Dr Paulo Romeiro discute a doutrina mais polêmica do Catolicismo – A Mariolatria. 

APOSTILA
-O Catolicismo: Você terá nessa apostilas a refutação de todos os dogmas do Catolicismo.

  • Comentários desativados em Os Horrores do Nazismo e o Vaticano
  • 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (1 votos)
    Loading...
  • 3481 views
  • Print

Cada autor é responsável pelo conteúdo do artigo.

Deixe seu comentário

Comentários fechados neste artigo.

Advertisement