Esqueceu a senha?

Pais da Igreja e a possibilidade de apostasia

por Artigo compilado - qua jan 29, 12:21 am

patristica777

Pode voltar a perder-se o que é salvo?

Já temos visto que os primeiros cristãos creram que temos que seguir em fé e obediência para sermos salvos. Logicamente, então, creram que uma vez salvos podemos voltar a perder-nos. Por exemplo, Irineu, o aluno de Policarpo, escreveu: “Cristo não voltará a morrer por aqueles que cometem pecado, pois a morte não se domina mais dele… Por isso não devemos vangloriar-nos… Mas sim devemos cuidar-nos, para que não deixemos de atingir o perdão de pecados e sejamos excluídos de seu reino. Isto pode suceder-nos, ainda que tivéssemos chegado a conhecer a Cristo, se fizermos o que a Deus não agrada.”[1] (Hebreus 6:4-6).

Tertuliano escreveu: “Há pessoas que atuam como se Deus estivesse sob obrigação de brindar seus dons ainda àqueles que não são dignos deles. Convertem a generosidade de Deus numa escravatura, porque depois, não caem muitos da graça de Deus se não lhes tira o dom que tinham recebido?” [2]

Cipriano escreveu a seus colegas crentes: “Está escrito: ‘O que persevere até o fim, este será salvo’ [Mateus 10.22]. O que precede o fim nada mais é do que um passo na subida à cume da salvação. Não é o fim da carreira o qual nos ganha o resultado final da subida.”[3]

Muito com frequência os primeiros cristãos citaram a passagem da Bíblia que encontramos em Hebreus 10.26: “Porque se voluntariamente continuarmos no pecado, depois de termos recebido o pleno conhecimento da verdade, já não resta mais sacrifício pelos pecados.” Os pregadores de hoje muitas vezes nos dizem que esta passagem não se refere a pessoas já salvas. Se isto fora o caso, o escritor não soube comunicá-lo a seus leitores. Todos os primeiros cristãos entenderam que esta passagem fala dos que já são salvos. Pode ser que você creia que os primeiros cristãos viveram sempre sem nenhuma segurança de sua salvação. Mas definitivamente não foi assim. Ainda que creram que o Pai celestial pudesse excluir os se desejava fazê-lo, o tom de todos seus escritos mostra que não viveram temerosos de perder sua herança espiritual. Afana-se e se preocupa o filho obediente de que seu pai natural o possa excluir?

Autor: David W. Bercot

Fonte: O desafio da igreja atual à luz da igreja primitiva, p. 46.

——————————————–

[1] Irineu, Against Heresies, tomo 4, capítulo 27, seção 2.

[2] Tertuliano, On Repentance, capítulo 6.

[3] Cipriano, Unity of the Church, seção 21.


Cada autor é responsável pelo conteúdo do artigo.

Deixe seu comentário

Comentários fechados neste artigo.

Advertisement