Esqueceu a senha?

Pastores esquerdistas criticam bancada evangélica

por Artigo compilado - sáb jun 27, 3:31 pm

bezerra e kivitz

Nota do CACP: ao contrário do que dizem os pastores esquerdistas, pensamos que a bancada evangélica, depois de muito tempo omissa, tem até feito algumas atuações relevantes. Entendemos ainda que essa bancada deveria ser mais contundente e firme na defesa dos valores cristãos. Nós, do CACP, somos contrários aos rumos que o atual governo tem levado o Brasil. Somos contrários ao Casamento Gay e a decisão do STF que agrediu a Constituição na questão da união do mesmo sexo(artigo 226, parágrafo 3). Somos a favor da redução da maioridade penal e defendemos a liberdade de expressão sem a intervenção do governo. Corroboramos com a cosmovisão de um Estado laico, com respeito a religiosidade do seu povo.

—————————- 

Pastores esquerdistas criticam bancada evangélica

Publicado no canal do Youtube da revista esquerdista Carta Capital, o vídeo “Pastores criticam atuação da bancada evangélica” tem gerado repercussão entre os evangélicos nas redes sociais. Embora o vídeo original não tenha chegado a 10 mil visualizações, no Facebook chega a quase 900 mil, o que o caracteriza como viral. Em pouco mais de um dia, o material foi compartilhado quase 30 mil vezes e gerou milhares de comentários.

Os pastores que aparecem no vídeo de 3 minutos, segundo a revista, “repudiaram a atuação dos evangélicos em Brasília”. O alvo é a bancada evangélica, que normalmente é vista com maus olhos pela mídia. Não é surpresa, portanto, que a Carta Capital, abertamente pró-PT utilize depoimentos para minar a credibilidade dos deputados com posturas religiosas claras, uma vez que eles têm constantemente contrariado os interesses do partido que governa o país.

Eles estão confundindo a Bíblia com Game of Thrones, Jesus com Darth Vader”, é a frase que abre o vídeo. Dita por Carlos Bezerra Jr. , pastor da igreja Comunidade da Graça e também deputado estadual (PSDB/SP). Depois de Bezerra, que recebe mais destaque, seguem depoimentos de Levi Correa e Ed René Kivitz, ambos da Igreja Batista da Água Branca (SP) e da pastora Ester Leite Lisboa, da Igreja Anglicana. Por fim, Tercio de Oliveira, que não é identificado como pastor, apenas membro da Rede Evangélica Nacional de Ação Social.

O tom é crítico, fazendo-se considerações sobre a necessidade de uma bancada para representar os “interesses dos evangélicos” e também insinuar que eles não possuiriam legitimidade para tal.
Chama atenção que a revista parece ignorar que os pastores que prestaram depoimento não representam os evangélicos como um todo. Seguidamente as críticas a declarações de Marco Feliciano e Silas Malafaia, são rejeitadas por muitos justamente por serem porta-vozes de um grupo minoritário.

Surge assim um paradoxo de representatividade. Talvez a imprensa ignore que, diferentemente dos católicos que tem na CNBB seu órgão de expressão política mais atuante, os cerca de 20% da população que se declaram evangélicos não possuem fórum similar. Ou seja, se nem os “direitistas” podem falar em nome dos evangélicos como um todo, tampouco podem os “esquerdistas”.
O direito de livre-expressão garante a qualquer cidadão brasileiro o direito de expor publicamente seus pensamentos. O que causa estranheza é que algumas vozes são ouvidas apenas quando interessa dividir a opinião pública.

kivitz mal

Não há registro desses mesmos pastores de esquerda fazendo declarações tão contundentes diante dos inúmeros problemas que se abatem sobre o país, causado pelo governo federal. Tampouco são tão veementes em suas posturas quando questões que atingem diretamente o que a Bíblia defende, como a família tradicional.

O vídeo da Carta Capital encerra com uma fala do pastor Ed René Kivtz, onde o mesmo diz que um parlamentar não foi eleito para ficar defendendo os interesses particulares do setor da sociedade que o elegeu (Como assim? É justamente essa a obrigação do deputado eleito, defender seus eleitores).  Porém, a mesma lógica não se aplica quando a questão é vista daqueles que supostamente defendem as “minorias”. Esses, em geral, são tratados com destaque por suas lutas. Nesses casos, parece tornar-se justo o empenho, por exemplo, pela legalização do aborto, das drogas e do casamento gay.

O Brasil vive amplos debates na sociedade, como o da diminuição da maioridade penal, justamente um dos tópicos do vídeo. Resta o questionamento por que a reportagem da revista ignora o importante papel das igrejas no fortalecimento da família, que teria relação direta com a questão da delinquência juvenil.

Do outro lado, os pastores ouvidos parecem esquecer que embora existam posturas da bancada que podem ser polêmicas, a maioria dos deputados federais e senadores tem defendido pouco mais do que a si mesmo e as mudanças impostas pelo governo federal que tanto prejudicam o cidadão.

Assista:

 

Extraído do site http://noticias.gospelprime.com.br/ em 27/05/2015


Cada autor é responsável pelo conteúdo do artigo.

9 Comentários

Comentários 1 - 9 de 9Primeira« AnteriorPróxima »Última
  1. GAY AJUDA GAY.

    SIMPLESMENTE ESSES CARAS ESTÃO DANDO DEMISSÃO PARA O APOSTOLO PAULO. OU CHAMANDO DE IRRELEVANTE OS SEUS ESCRITOS.

     “QUEM CONSIDERA-SE PROFETA OU ESPIRITUAL RECONHEÇA O QUE EU ESCREVO É MANDAMENTO DO SENHOR.” 1 Coríntios 14:37

  2.  Tem filhos ,netos esses camaradas, ED RENÉ, e os demais? Se não fossem a ”bancada evangelicas” muitos projetos contra a familia teria passado no congresso. MALAFAIA me representa como os da bancada. Eles ED RENÉ e demais estão ligados ao PT.

  3. No vídeo tem um que parece “leão lobo” jurado do programa ratinho. rsrs.

    “não é prioridade de Jesus” diz os caras aie do vídeo, mas desde quando Jesus é a favor de sexo anal ? eles pregam um “outro jesus” 2 Cor 11.4

  4. O primeiro que aparece no vídeo distorce as palavras de Jesus, o segundo pastor batista de crucifixo? Depois “pastora”. Ora, essa turma de apóstatas que aprecem aí são os tais que defendem bandido até antes de sofrer um assalto ou ter a casa invadida, aí o discurso muda.

  5. Qualquer leitor da Bíblia verá que os protegidos por Jesus eram os que se arrependiam e se convertiam, Ele não estava do lado de ladrões, assassinos, menores bandidos, homossexuais. Querem incutir um ideia distorcida de Jesus.

  6. Acho interessante o que o pr Ed René Kivitz diz se referindo abancada evangelica, ”que alguém que possui um cargo publico não esta lá para impor suas crenças, interesses e nem defender o grupo que o colocou lá” mas não é a bancada evangelica que quer impor os interesses de quem…

  7. os elegeu, mas sim pessoas como Jean Wyllys, entre outros que querem impor os seus interesses, para satisfazer seu grupo.

  8. O pastor Ed René Kivtz é calvinista extremado, bem provável achar sustentação para as coisas que fala postulando a partir de joão calvino, porque este diz “deus cria o mal” e “todos são depravados” e “deus já elegeu “, então pensam eles : ” – é irrelevante gay’ismo ou não.”

  9. Uma vergonha o que estes ditos “pastores” estão dizendo! Que bíblia eles estão lendo? Que Jesus estão pregando? Como devem estar conduzindo o rebanho do Senhor!

Comentários 1 - 9 de 9Primeira« AnteriorPróxima »Última

Deixe seu comentário

Advertisement