- CACP – Ministério Apologético - http://www.cacp.org.br -

Psicologia “Cristã” ou a Bíblia?

[1]“Eis que o temor de Deus é a sabedoria e apartar-se do mal é a inteligência” (Jó 28:28).

A Psicologia nada tem a ver com o Senhor Jesus Cristo. De fato, ela é a antítese da Palavra de Deus, pela qual todos nós seremos julgados (João 12.48). Psicologia é a “falsamente chamada ciência” (1 Timóteo 6.20), que trata da mente e dos processos mentais. Ela se propõe a curar os erros humanos através de métodos humanos, desprezando o método divino da cura pela confissão de pecados.

Quem leva uma vida totalmente embasada na Palavra de Deus dificilmente precisará de um psicólogo ou psiquiatra. Existe um lugar para onde correr, em busca da cura para qualquer problema espiritual e esse lugar é a Bíblia. Jesus disse: “Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração; e encontrareis descanso para as vossas almas. Porque o meu jugo é suave e o meu fardo é leve” (Mateus 11.28). O apóstolo Pedro também nos aconselha: “Humilhai-vos, pois, debaixo da potente mão de Deus, para que há seu tempo vos exalte; lançando sobre ele toda a vossa ansiedade, porque ele tem cuidado de vós” (1 Pedro 5.6-7).

Devemos consultar um irmão quando temos problemas? A resposta é clara: “Confessai as vossas culpas uns aos outros, e orai uns pelos outros, para que sareis. A oração feita por um justo pode muito em seus efeitos” (Tiago 5.16). Mas se ele nos aconselhar um psicólogo, melhor é cair fora. Deus age através de Sua palavra, a qual é suficiente para nos transformar em cidadãos tranqüilos e respeitáveis: “Toda a Escritura é divinamente inspirada, e proveitosa para ensinar, para redargüir, para corrigir, para instruir em justiça; para que o homem de Deus seja perfeito, e perfeitamente instruído para toda a boa obra” (2 Timóteo 3.16-17).

A desgraça espiritual e social que tem atingido o Ocidente resulta da falta de leitura e obediência à Bíblia, a qual foi substituída pela Psicologia. Um triste exemplo desse fato é que o governo americano está preparando uma lei que obriga todos os pais a entregarem seus filhos aos psicólogos, a fim de que estes “curem” as crianças de qualquer dano emocional, prescrevendo-lhes medicamentos fortes, até mesmo àquelas em idade pré-escolar. Será que todas as crianças americanas precisam de psicólogos? Quando esta moda chegar ao Brasil (nosso governo copia tudo que não presta dos americanos), os donos de laboratórios (em geral controlados pela Ordem Jesuíta) vão faturar bilhões, enquanto milhões de inocentes ficarão à mercê dos perigosos medicamentos que os tornarão robôs humanos, prontos para acreditarem nos sinais e maravilhas do Anticristo. Tomar medicamentos é sempre perigoso…

Aceitar conselhos humanos dos discípulos de Freud, Jung e outros psicanalistas significa suicídio espiritual. Por que beber água poluída, se temos a água pura da Palavra de Deus? O homem é corrupto por natureza e em seu coração ele abriga pecados como a luxúria, a inveja, a soberba, a mentira, a hipocrisia, enfim tudo que é condenável aos santíssimos olhos de Deus. Por que tropeçar no escuro se temos a Bíblia: “Lâmpada para os [nossos] pés … e luz para o [nosso] caminho”? (Salmo 119.105).

Por que confiar nos chamados “psicólogos cristãos”, se eles estão mais interessados no lucro financeiro do que na cura dos pacientes? Paciente curado é ganho perdido; portanto, quem for inteligente, pense no assunto! Esses psicólogos enchem seus clientes de medicamentos “tarja preta”, deixando os mesmos agrilhoados aos caprichos da “falsamente chamada ciência”. O que não falta é cliente afundando no poço da dependência química e estragando sua vida espiritual, emocional e familiar.

Em 1986, tive uma gastrite aguda, com dores terríveis, e a junta médica que me tratava de uma anorexia neuro-depressiva, no melhor hospital do RJ, me enviou a um psiquiatra. Foi a primeira e última vez que visitei um médico especialista em problemas emocionais. Ele me prescreveu dois medicamentos fortes e voltei para casa. As dores persistiram, até que, de repente, o Espírito Santo me “convenceu do pecado” grave que eu estava cometendo, ou seja, me preparando para casar com um químico alemão (depois de 3 anos de viuvez), que era ateu. Ele havia feito uma única exigência, antes que assinássemos os papéis no cartório: abandonar totalmente a leitura da Bíblia. Eu havia saído do Seminário Betel, onde estudara Teologia Bíblica, e precisava tomar uma decisão. Toda noite, quando lia a Bíblia e orava, o Espírito me aconselhava a não trocar Jesus Cristo por um homem ateu, mas eu estava apaixonada por ele. Depois de dois meses de luta com o Espírito de Deus, certa noite, tive uma crise de desespero, joguei a Bíblia no chão e falei bem alto: “Senhor, se tu não queres que eu me case com o fulano, então me derruba, porque eu não tenho força para renunciar e vou me casar com ele de qualquer maneira”.

No dia seguinte, quando tentava engolir o almoço (de manhã não como coisa alguma), minha garganta havia se fechado e não consegui engolir senão um suco. Depois de quatro meses, só tomando sucos (pois nada conseguia engolir), havia perdido muito peso e baixado algumas vezes ao hospital para tomar soro. Quando visitei o tal psiquiatra, sinal de que já havia chegado ao fundo do poço, o Espírito de Deus voltou a falar comigo. De repente, Ele me convenceu do grave pecado que eu estava cometendo, na perspectiva de abandonar a Palavra de Deus e, conseqüentemente, o meu Salvador. Confessei o grave pecado, chorando de arrependimento; terminei o noivado com o alemão (que viera da Alemanha por causa de minha doença) e, logo depois, comi o primeiro bife, depois de quatro meses sem poder engolir alimento sólido.

O pecado é a causa de todos os males em nossa vida. Minhas filhas se acham liberadas para casar e separar, tornar a casar… E nunca estão felizes. Não foi isso que lhes ensinei, nem jamais lhes dei esse mau exemplo. Quando estão sofrendo, correm para mim e eu sempre as repreendo, mostrando o porquê do seu sofrimento. Infelizmente, o contexto social em que vivemos é tão paganizado que as pessoas se deixam enredar facilmente pelo pecado, achando que Deus não vai levar em conta os seus atos. Mas Ele sempre leva. Paulo nos admoesta em Gálatas 6.7: “Não erreis: Deus não se deixa escarnecer; porque tudo o que o homem semear, isso também ceifará”.

O incrédulo até pode escapar da ira divina aqui na Terra… Mas o crente que erra, paga aqui mesmo, porque Deus não tolera iniqüidade em Seus filhos (João 1:12). Eu paguei muito caro. A partir desse tempo de provação, aprendi a me guiar por Romanos 8.28. Tudo que Deus permitiu naquele tempo foi para o meu próprio bem. Eu ia abandonar Jesus Cristo, a Bíblia, a empresa, a família, a fim de acompanhar um ateu para viver num país distante, de língua estranha e povo fleumático. Não nasci para isso. Gosto de fazer amigos, gosto de conversar… Nos últimos 12 anos tenho me dedicado à obra do Senhor, com uma vida saudável, alegre e realizada, na paz de Cristo, que excede todo o entendimento! (Filipenses 4.7)! E sei que tudo que aconteceu, e ainda acontece, é para o meu bem! Romanos 8.28!!!


Fonte:

http://www.cpr.org.br/Mary.htm

[2] [3]Compartilhar [4]