Esqueceu a senha?

Queimar Incenso – questão de consciência?

por Prof. Paulo Cristiano da Silva - qui set 06, 11:48 pm

QUEIMAR INCENSO, QUESTÃO DE CONSCIÊNCIA? 

Que as Testemunhas de Jeová é uma religião extremista, disso ninguém discorda, a não ser, talvez, elas mesmas. O apego aguerrido a todas as excentricidades que seus líderes vendem como sendo “práticas bíblicas” é uma prova cabal deste fanatismo religioso.

Muitas destas práticas não possuem o mínimo de respaldo bíblico são, por vezes, interpretações forçadas, fruto apenas da dedução lógica de seus líderes. E como todo tipo de raciocínio falacioso possui uma lógica própria que se autodestrói, essa implosão não demora a aparecer em forma de contradições em muitas crenças das TJ.

Pesquisando esta semana o site oficial das Testemunhas de Jeová no endereço http://www.watchtower.org/t/index.html, deparei-me com um artigo interessante que traz o seguinte título “Queimar incenso — faz parte da adoração verdadeira?”.

O articulista como de costume analisa uma prática cultural qualquer e depois impinge sobre ela o epíteto de “práticas pagãs”. O vício de raciocínio exegético dos líderes desta seita é tão acentuado que nos permite antever o desfecho do argumento.

O referido artigo primeiro analisa como as religiões pagãs utilizavam a prática de oferecer incenso aos deuses e depois compara com a prática exigida por Deus ao povo hebreu de Lhe queimar incenso para então apontar, como sempre, como uma TJ obediente deverá se portar diante destas questões.

Diferentemente do natal, ano novo, aniversário, árvore de natal e outros costumes culturais ferrenhamente combatido por elas como “práticas pagãs”, a questão do incenso foi tolerada sob a égide da “liberdade de consciência” de cada TJ. O aferidor não foi mais a relação com o paganismo, método largamente utilizado para combater as demais práticas acima descritas.

Agora, pelo jeito, a questão é de localidade geográfica e sócio-cultural.
No desfeche final do artigo é lançada a pergunta “Será que o fato de se usar incenso em cerimônias religiosas e em algumas formas de espiritismo significa que toda queima de incenso é errada?” para então dar o veredito, “ Não necessariamente”.

O raciocínio prossegue da seguinte maneira, “Alguém talvez queira queimar incenso como fragrância no lar, só porque gosta do seu cheiro agradável. (Provérbios 27:9) Mesmo assim, para decidir se deve ou não queimar incenso, o cristão deve considerar certos fatores. Será que outros na região em que você mora associariam o uso do incenso com uma prática da religião falsa? Na sua comunidade, é o incenso muitas vezes associado com rituais espíritas? Ou costuma ser usado para fins não-religiosos? Quando alguém decide queimar incenso, sua decisão deve levar em consideração tanto a sua própria consciência como os sentimentos dos outros”.

Observe que o escritor habilmente retira o peso do argumento que recaia no termo paganismo e o transfere para a esfera do subjetivismo, da decisão pessoal. Virou questão de consciência!

Ora, e a relação com o paganismo, onde fica? Veja como o escritor TJ conseguiu com sua retórica desvencilhar a relação com o paganismo ao introduzir a questão de consciência.

Ultimamente, os líderes TJ tem explorado muito a expressão “questão de consciência” ou “consciência treinada pela Bíblia”, como um eufemismo para as mudanças que estão surgindo dentro da seita. Desta maneira os adeptos não percebem as mudanças explicitamente, isto faz com que o impacto de descobertas posteriores seja amenizado.

No entanto, a Sociedade Torre de Vigia precisa explicar a discrepância em muitos assuntos. Explicar, por exemplo, por que usa-se dois pesos e duas medidas quando vão tratar sobre outras práticas culturais tais como os aniversários,tachadas de prática pagã. Perguntamos aos líderes dessa seita: qual a relação dos aniversários com práticas religiosas? Nenhuma. Por que então são proibidas ainda as comemorações de aniversários entre as TJ? Só há uma explicação: a obediência cega à liderança da seita. Essa submissão alienada que não permite as TJ raciocinarem por si mesmas levam-nas a decisões arbitrárias e ridículas como estas. Oremos por estas pobres almas para que o Senhor as liberte dos grilhões da ignorância.

Veja o vídeo

Referência: 

Queimar incenso — faz parte da adoração verdadeira? Disponível em: http://www.watchtower.org/t/20030601/article_01.htm. Acesso em: 01 mai. 2009.

Para uma visão completa com relação a outras práticas religiosas proibidas pelas TJ, acesse o artigo “Paganismo entre as TJ” do mesmo autor.


Cada autor é responsável pelo conteúdo do artigo.

Deixe seu comentário

Advertisement