Esqueceu a senha?

Questões sobre o islamismo

por Pr. Natanael Rinaldi - sex mar 27, 4:57 pm

203_155-muculmanos orando

Pergunta: O que significa islã?

Resposta: A palavra islã significa ‘submissão’. Ilustra a principal ideia da religião também conhecida como ‘muçulmana: o fiel aceita submeter-se à vontade de Alá, o nome do seu deus.

Pergunta: Quais são as principais crenças do islamismo?

Resposta: Para alguém tornar-se muçulmano é necessário:

1) Declarar sua fé confessando “Alá é o único deus e Maomé é o seu profeta”;

2) Orar cinco vezes por dia. Salah é a oração ritual diária ordenada a todos os muçulmanos: entre a primeira luz do dia e o nascer do sol; após o sol ter passado da metade do céu; entre o meio da tarde e o pôr do sol; entre o pôr do sol e a última luz do dia; entre a escuridão e a meia-noite;

3) Fazer um jejum anual no nono mês lunar (ramadã);

4) Pagar o zacat, uma doação obrigatória institucionalizada pela Lei Islâmica. Todo muçulmano, que disponha de recursos materiais, deve doar 2,5% de seus rendimentos anuais para Comunidade Muçulmana. O zacat é uma prescrição divina, uma obrigação imposta por Deus, o Altíssimo (“praticai a oração, pagai o zacat, e inclinai-vos juntamente com os que se inclinam” (sura 2.43);“observai a oração, pagai ozacat…” (sura 2.110);

5) Peregrinar até a cidade de Meca pelo menos uma vez na vida.

Pergunta: Quem é Maomé para os muçulmanos?

Resposta: O último e maior de todos os profetas de Alá.

Pergunta: Como Maomé é identificado na história?

Resposta: Muhammad ou Maomé foi um homem nascido na cidade de Meca, no ano 570, fundador da religião islâmica, que apresenta ensinos completamente diferentes do Cristianismo.

Pergunta: O que é o Alcorão (ou Corão)?

Resposta: A palavra alcorão vem do árabe quran e significa ‘recitação’. O Alcorão é o livro sagrado do islã. Segundo seus fieis é a revelação de Deus para todo ser humano, entregue a Maomé pelo anjo Gabriel, durante um período aproximado de 23 anos, que não contém nenhum erro pois foi resguardada por Alá. Apesar disso, os muçulmanos acreditam que alguns versos mais antigos foram substituídos. Especialistas afirmam que 225 versos foram suprimidos, o que causa constrangimento para os muçulmanos.

Pergunta: O Alcorão é o registro de uma revelação divina?

Resposta: O trabalho de Maomé não foi inspirado, nem é considerado como escritura. Não há nenhuma verificação precisa dos originais.

Resposta apologética: É um livro que não está estribado no amor, pois manda matar os inimigos, enquanto o Novo Testamento manda oferecer a outra face (Mateus 5.39).

Pergunta: O que o islã diz sobre a Bíblia?

Resposta: Os muçulmanos respeitam a palavra dos profetas, mas dizem que a Bíblia foi corrompida através dos séculos e só é correta na medida em que concorda com o Alcorão.

Resposta apologética: A Palavra de Deus foi inspirada e formulada sem erros (2Timóteo 3.16; 2Pedro 1.21).

Pergunta: Como Deus é definido no islã?

Resposta: No islã Deus é conhecido como Alá, uma pessoa, uma unidade rígida, e não existe nenhum outro deus além dele. Ele é o Criador do universo (sura 3.191), soberano acima de tudo (sura 6.61-62). No Alcorão Maomé diz: “fui mandado adorar o senhor desta Terra” (sura 27.91). Alá era um nome que se usava para um dos deuses da Árabia, conhecido como o pai das deusas Lat, Uzza e Manat adoradas por muitos.

Resposta apologética: Deus é uma trindade de pessoas: Pai, Filho e Espírito Santo. A Trindade Divina não são três deuses em um deus, nem uma pessoa em três modos ou manifestações. O trinitarismo é estritamente monoteístico: um só Deus eternamente subsistente em três pessoas (Gênesis 1.26; Mateus 28.19).

Pergunta: Como Jesus é definido no islã?

Resposta: Para os muçulmanos Jesus é um grande profeta, mas Maomé é seu sucessor e superior a Ele. Por uma ordem de Deus Jesus foi gerado no útero de Maria, mas Jesus não é o Filho de Deus (sura 9.30), certamente não é divino (sura 5.17,75) e não foi crucificado (sura 4.157), ou seja, o Jesus do islã é um outro Jesus (2Coríntios 11.4).

Resposta apologética: Jesus é a Segunda Pessoa da Trindade Divina. Existia na forma de Deus (João 1.1; Filipenses 2.6; 1João 5.20) e se tornou carne (João 1.14). Ele é Deus e homem (Colossenses 2.9).

Pergunta: O que diz o islã sobre a morte e crucificação de Jesus?

Resposta: Ensinam que Jesus não morreu na cruz. Deus permitiu que Judas se parecesse com Jesus e fosse crucificado em seu lugar. Alá mentiu, enganou o povo e foi injusto com Judas, pois fez o rosto de Cristo aparecer sobre ele.

Resposta apologética: Jesus morreu na cruz e nela expiou os pecados da humanidade. Somente através de Seu sacrifício o homem pode ser salvo da ira de Deus (1Pedro 2.24).

Pergunta: O islã ensina a reconciliação do homem com Deus?

Resposta: No islamismo não há nenhuma forma de reconciliação do homem com Deus, como a confissão dos pecados e o arrependimento. Também não há um salvador redentor.

Resposta apologética: O sacrifício perfeito de Cristo na cruz (1Pedro 2.24), com derramamento de Seu sangue, retirou a ira de Deus que estava sobre os homens (1João 2.2). Quando o pecador O recebe torna-se filho de Deus (João 1.12) pela fé (Romanos 5.1).

Pergunta: Qual o papel do Espírito Santo no islã?

Resposta: Ensinam que foi o anjo Gabriel quem entregou as palavras do Alcorão a Maomé. Os eruditos muçulmanos aplicam o texto de João 14.16 como uma referência a Maomé, que é chamadoahmad (periclytos, que eles consideram a forma correta de parakletos). Acontece que o Novo Testamento no texto original grego não traz periclytos, que significa o que é louvado, mas simparakletos que significa consolador ou advogado (1João 2.1-2). Para tentar dar consistência a seus argumentos, os islâmicos se apegam ao evangelho apócrifo de Barnabé, que ao invés de trazer a forma correta parakletos traz periklytos, que expressa o significado do nome ‘Maomé’. Mesmo sabendo que trata-se de um evangelho espúrio, que contém erros de gramática, os muçulmanos fazem vista grossa a isso. O que eles querem é fazer de Maomé “o outro Consolador” a qualquer custo!

Resposta apologética: O Espírito Santo é a Terceira Pessoa da Trindade Divina. O Espírito Santo é completamente Deus em Sua natureza (João 14.16-26; João 15.26).

Pergunta: O que diz o islã sobre os anjos?

Resposta: Ensinam que os anjos são seres criados na luz, sem vontade própria, que servem a Deus.

Resposta apologética: A Bíblia diz que os anjos são seres poderosos, criados por Deus diferentes dos homens (Hebreus 1.14). Alguns deles caíram em pecado e tornaram-se demônios (Efésios 6.12). Os que não caíram levam a cabo a vontade de Deus.

Pergunta: O que o islã sobre o homem?

Resposta: Ensinam que o homem não foi feito à imagem e semelhança de Deus, mas que foi formado do pó da terra (sura 23.12) e Alá soprou nele o fôlego da vida (sura 32.9; 15.29).

Resposta apologética: A Bíblia diz que o homem foi feito à imagem e semelhança de Deus (Gênesis 1.26). Isso não significa que Deus tem um corpo, mas que o homem foi feito como Deus em suas habilidades (razão, fé, amor etc.).

Pergunta: Segundo o islã, como o homem obtém a salvação?

Resposta: Os muçulmanos acreditam que a salvação depende do esforço de cada um e da prática de boas obras.

Resposta apologética: A Bíblia diz que a salvação é um dom gratuito de Deus (Efésios 2.8-9) concedido a todos que acreditam em Cristo e no Seu sacrifício na cruz. Ele é o único mediador entre Deus e os homens (1Timóteo 2.5). Nenhum esforço humano é de alguma maneira suficiente para merecer a salvação, pois todos os nossos esforços são inaceitáveis a Deus.

Pergunta: Os muçulmanos creem que haverá o dia do julgamento?

Resposta: Eles acreditam que no dia da ressurreição Deus julgará todas as pessoas, os muçulmanos irão para o paraíso e todos os demais para o inferno (sura 10.53-56; 34.28). O julgamento será baseado nas ações de cada pessoa (sura 14.47-52; 45.21-22).

Resposta apologética: Lemos na Bíblia que o julgamento acontecerá no dia da ressurreição (João 12.48), quando Deus julgará todas as pessoas. Os cristãos irão para o céu e todos os outros para o inferno (Mateus 25.34,41,46).

Pergunta: O islã acredita no pecado original?

Resposta: Não. O islamismo ensina que não existe o pecado original e todas as pessoas estão sem pecado até que se rebelem contra Deus. Não existe natureza pecaminosa no homem.

Resposta apologética: Pecado original é uma expressão que designa o pecado de Adão transmitido aos seus descendentes (Romanos 5.12-23). Especificamente é a natureza pecaminosa que todos herdamos de Adão, passada dos pais para os filhos. Nós somos por natureza filhos da ira (Efésios 2.3).

Pergunta: O que é o céu, ou paraíso, dos muçulmanos?

Resposta: Para os muçulmanos o paraíso é um lugar de alegrias inimagináveis (sura 32.17), um jardim com árvores e comida (sura 13.35; 15.45-48), onde são conhecidos os desejos dos muçulmanos fieis (sura 3.133; 9.38; 13.35; 39.34; 43.71; 53.13-15). É interessante notar que há promessa de virgens belas só para os homens (sura 56.1-56), deveria haver jovens belos para as mulheres.

Resposta apologética: Céu é o lugar onde Deus habita. É a casa dos cristãos salvos pela graça de Deus, que viverão em amizade eterna com Ele (João 14.1-3, Filipenses 3.20-21). O Novo Testamento condena veementemente a poligamia e a prostituição (1Coríntios 7.1-4).

Pergunta: E sobre o inferno, como creem os muçulmanos?

Resposta: O inferno é um lugar de castigo eterno e tormento (sura 14.17; 25.65; 39.26), em fogo (sura 104.6-7) para os que não são muçulmanos (sura 3.131) bem como aqueles cujo trabalho e  fé não são suficientes (sura 14.17; 25.65; 104.6-7).

Resposta apologética: O inferno é um lugar de tormento em fogo, fora da presença de Deus. Não há fuga do inferno (Mateus 25.46).

Pergunta: Como crê o islã sobre a vida após a morte?

Resposta: Creem que há vida após a morte (sura 75.12), uma vida ideal no Paraíso (sura 29.64) para os muçulmanos fieis ou o inferno para os que não são muçulmanos.

Resposta apologética: Os cristãos estarão com Deus no céu (Filipenses 1.21-24; 2Coríntios 5.6-8). Os não cristãos serão lançados no inferno para tormento eterno (Lucas 16.19-31).

_______________________

Referências bibliográficas:

A Era das Trevas, Justo Gonzalez.

Enciclopédia de Apologética, Normam Geisler.

Heresias e Modismos, Pr.Esequias Soares.

Nova Enciclopédia Barsa, p. 199.

O Caçador de Pipas, Khaled Hosseini.

O Outro Lado do Islã, R.C. Sproul & Abdul Saleeb.

Para Compreender o Islã, Frithjof Schuon.


Cada autor é responsável pelo conteúdo do artigo.

Deixe seu comentário

Comentários fechados neste artigo.

Advertisement