Esqueceu a senha?

Razões porque o cristão não pode ser marxista

por Enviado por email - seg set 17, 10:24 am

Razões porque o cristão não pode ser marxista socialista

O cristão assim o é cristão porque acredita na mensagem bíblica seja o antigo testamento e o novo testamento, ele é cristão porque a bíblia é sua única regra de fé e prática. Alguém mal informado ou até bem intencionado poderia dizer que o marxismo é compatível com a mensagem de Jesus, pois este amou e teve compaixão das minorias desprezadas (comparados com os lgbts de hoje), alimentou multidões (comparado em dar bolsa família aos pobres e carentes), curou os doentes (comparado com o programa “mais médicos” de Dilma).

A ideologia socialista marxista pode parecer bonita, cheia de justiça social; porém historicamente tem se mostrado um desastre uma vez que ela não permite o livre comércio, sobrecarrega os investidores com inúmeras regulamentações e sempre visa um Estado grande. Um exemplo recente que demonstra o fracasso que é o Estado querer intervir no livre comércio é a Venezuela, outrora um país riquíssimo da América Latina, hoje tendo sua população vivendo em extrema pobreza e miséria.

Deixando de lado o setor econômico, vamos falar brevemente porque o marxismo é incompatível com a fé cristã no que diz respeito ao seu fundador. Algumas pessoas afirmam que Karl Marx era ateu, ele era ateu mesmo? No que ele acreditava? Ao contrário do ateísmo atribuído a Marx, este em sua juventude foi cristão e viera a se tornar satanista.

Marx escreveu em um poema: “Desejo vingar-me d’ Aquele que governa lá em cima.” Não se sabem os motivos pessoais que levaram ele desejar a se “vingar” de Deus, pois Marx vinha de uma família rica, não passou fome quando criança. E em seu poema “Invocação de Alguém em Desespero”, Marx escreveu:

Estabelecerei o meu trono muito acima de todos

Frio e monstruoso será o seu topo

O pavor supersticioso será a sua base

E a negra agonia será o seu condutor.

Este poema em que Marx deseja construir um trono para si nos remete a passagem bíblica em que muitos teólogos atribuem a Satanás um trono que seria erguido: “Eu subirei ao céu; acima das estrelas de Deus exaltarei o meu trono.” (Isaías 14.13).

Por qual motivo Marx desejaria tal trono? Podemos encontrar tal resposta em um drama que não é muito conhecido, que ele compôs durante os anos que também foi um estudante. Chama-se “Oulanem”. Preste atenção à razão ou causa desse título.

Há uma igreja de Satanás em que um dos rituais é a missa negra, cujo ritual um sacerdote satânico oficia à meia-noite. Velas negras são postas no castiçal de ponta cabeça. O sacerdote usa vestimentas adornadas, mas ao avesso, o sacerdote diz todas as coisas que estão indicadas no livro de orações, porém lê do fim para o início. Os nomes de Deus, Jesus e Maria são lidos inversamente. Um crucifixo é posto de ponta cabeça, ou então pisoteado. Como altar usa-se o corpo de uma mulher nua. Marcada com o nome de Satanás uma hóstia consagrada e roubada de alguma igreja, sendo assim usada para uma imitação de comunhão.  Durante a missa negra uma Bíblia é queimada. Os que ali se encontram presentes comprometem-se a cometer todos os pecados capitais, que constam no catecismo católico, e a jamais praticar qualquer espécie de bem. Uma orgia se segue.

O nome “Oulanem” trata-se da inversão de um nome santo: é um anagrama de Emanuel, um dos nomes bíblico de Jesus, significa em hebraico “Deus conosco”. Na magia negra essas inversões de nomes são consideradas eficazes. Podemos compreender o drama Oulanem, se prestarmos atenção na confissão que Marx fez em um poema intitulado “O Violinista”, que seria declamado por seus seguidores e pelo próprio:

Os vapores infernais elevam-se

E preenchem o meu cérebro

Até eu enlouquecer e meu coração

Se transformar dramaticamente.

Vê esta espada?

O príncipe das trevas

Vendeu-a para mim.

E

Com Satanás fiz meu acordo,

Ele escreve as partituras e marca o compasso;

Eu toco e canto a marcha da morte

Com rapidez e desembaraço.

Em Oulanem, uma Tragédia Marx coloca no papel todo o ódio que o atormenta:

Arruinado, arruinado. Meu tempo esgotou-se.

O relógio parou, a casa do pigmeu desmoronou.

Breve apertarei a eternidade ao peito,

E breve bradarei gigantescas maldições sobre a humanidade.

Ah! Eternidade! Ela é a nossa eterna mágoa?

Nós próprios automatizados, cegamente mecânicos,

Feitos para sermos o calendário louco do Tempo e do Espaço,

Não tendo propósito, a não ser o de acontecer, o de sermos arruinados,

Para que haja algo para ser arruinado?

Se existe algo que nos devora,

Entregar-me-ei para ser engolido por ele, embora deixando o mundo em ruínas —

Este mundo que se avoluma entre mim e o Abismo,

Eu o reduzirei a pedaços com as minhas contínuas maldições.

Lançarei meus braços ao redor da sua rude realidade:

Abraçando-me, o mundo morrerá silenciosamente.

E então mergulhará no nada absoluto,

Extinto, sem qualquer vida — isso sim seria realmente viver!

E

… o mundo plúmbeo nos aprisiona,

E nós estamos acorrentados, despedaçados, vazios, apavorados,

Eternamente acorrentados a este bloco de mármore do Ser …

e nós —

Nós somos os macacos de um Deus frio.

Em seu poema “A Donzela Pálida”, ele escreve: “Assim, eu perdi o direito ao céu, Sei disso perfeitamente. Minha alma, outrora fiel a Deus, Está destinada ao inferno.”.

Nas citações mencionadas é de se notar claramente que Marx acredita no Deus cristão, mas ele toma sua decisão em servir Satanás. A história de Marx é acompanhada de um rastro de destruição em seu seio familiar, suicídio de seus filhos, traição na vida conjugal, Marx viveu sempre endividado e dependendo de favores financeiros, isto levando em consideração que se trata de alguém que dizia ter a solução econômica para o mundo.

As ideias marxistas foram levadas a cabo e em vários países o socialismo/comunismo foi implantado, os resultados foram catastróficos, fome, doenças, miséria, repressão à religião especialmente a cristã. Os números de pessoas que foram mortas em países que Marxismo foi implantado superam mais de 100 milhões.

Uma ideologia que descarta o Deus da bíblia certamente conduziria ao caos, esse caos e ruina citados nos poemas de Marx. Uma nação que não tiver a lei de Deus para guia-la e tenta a substituir por uma ideologia anticristã e satânica, infelizmente o caos estará instaurado sobre essa nação. O marxismo demonstra ser totalmente incompatível com uma nação próspera e com o cristianismo, um cristão jamais poderia ser de esquerda ou marxista, o marxismo se opõem abertamente contra o cristianismo. A pergunta que não quer calar é: Se o marxismo socialista/comunista é tão bom por qual razão não deu certo em lugar algum?

——-

Fontes:

https://istoe.com.br/286578_AS+MISERIAS+DE+MARX/

http://portalconservador.com/livros/Richard-Wurmbrand-Era-Karl-Marx-Um-Satanista.pdf

https://www.mises.org.br/Article.aspx?id=1405

————-

Sobre o autor: André Soares da Costa.  Membro da Igreja Batista Jardim Laranjeiras, São José do Rio Preto. Cursa o último semestre de graduação em Letras Português/ Inglês pela faculdade Claretiano (EAD).


Cada autor é responsável pelo conteúdo do artigo.

Deixe seu comentário

Advertisement