Esqueceu a senha?

Refutação de Algumas Doutrinas Erradas da CCB

por Artigo compilado - dom jul 24, 12:13 pm

TOLERAM O CONSUMO DE BEBIDAS ALCOÓLICAS

Que levam membros e até “Anciãos” a se embriagarem, dando escândalo perante “os de fora”. Alegam até que Jesus Cristo “bebeu vinho” por ocasião das Bodas de Caná da Galileia”.

Mas não está escrito que Jesus Cristo tenha transformado este vinho em bebida fermentada!

PROÍBEM PREGAÇÃO AO “AR LIVRE”

Afirmando que aqueles que o fazem procedem como “fariseus”, porem Jesus Cristo pregou ao “ar livre”. E S. Paulo também o fez – Atos 16:13, 14; 17:15-17.

ENSINAM QUE SOMENTE NA IGREJA “CRISTÃ NO BRASIL”

Há salvação, como se possuíssem o “monopólio” da salvação.

Porem isso é conflitante com a Palavra de Deus, pois Jesus quando disse a Pedro: Pois também eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei A MINHA IGREJA, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela” – Mt. 16:18, o Divino Mestre não disse que sua Igreja se chamaria “Cristã no Brasil”, ou outro nome Denominacional. Isso, porque não é o nome da igreja, que salva, mas o nome do senhor Jesus Cristo que realizou a obra Redentora no Calvário. – Quando o agoniado Carcereiro de Filipos, perguntou ao apóstolo S. PauIo e seu companheiro Silas: “Que é necessário que eu faça para me salvar? “E eles disseram: Crê no Senhor Jesus Cristo e serás salvo, tu c a tua casa. E lhe pregavam a Palavra do Senhor, c a todos os que estavam cm sua casa”. –  Atos 16:31-32. A resposta do Apóstolo e seu companheiro, não deixa dúvidas, nem dá margem a outra interpretação. Não disseram crê na “Igreja Cristã no Brasil”. Os líderes da referida Igreja podem argumentar que a primazia estaria na sua forma doutrinária, porém, justamente é nessa particularidade que ela não se prima, de acordo com o que estamos apresentando. A verdade é que nome de Igreja ou Denominação não salva, porque a salvação está em o nome do Senhor Jesus Cristo, como já afirmamos.

NÃO ADMITEM RECONCILIAÇÃO DE MEMBROS QUE SÃO DISCIPLINADOS OU EXCLUÍDOS:

Há, todavia, na Bíblia Sagrada, exemplos de pessoas que foram disciplinadas e voltaram ã comunhão. A “Parábola do Filho Pródigo” narrada, magistralmente, pelo Senhor Jesus Cristo é um exemplo de que o “desviado” pode retornar à “Casa Paternal” (a igreja), caso se arrependa sinceramente, e peça perdão de seus pecados. No antigo Testamento, há o “caso” de Davi, que foi muito grave. No entanto, foi perdoado, embora tenha “pago o preço” pelas consequências. II Sm 12:13.

A Bíblia menciona somente um pecado para o qual não há perdão. É a blasfêmia contra o Espírito Santo – Mt. 12:31,32. E o apóstolo S. João em sua Epístola, aliás, em uma de suas Epístolas, fala de “pecado para morte” – 1 João 5:16. No entanto, Teólogos de grande conceito afirmam que S. João falava do mesmo pecado de blasfêmia. Portanto, é uma doutrina errada.

“SENHOR VAI LIBERTANDO”

casos cm que admitem como membros na Igreja, pessoas viciadas. Alegam para esse procedimento, que o “Senhor vai libertando”. Não é certo, porque o “Evangelho é Poder de Deus”. O Senhor não vai libertando, não. O Senhor é poderoso para libertar. Há pessoas que não dão lugar à Obra do Espírito Santo, e por esse motivo não são libertas. Nesse caso é melhor conservá-las como “congregadas”, e não admiti-las no rol de membros.

BATISMO EM NOME DO SENHOR

Essa forma não é certa, porque ao se mencionar, no ato do batismo, as palavras ‘’em nome do Pai, e do Filho e do Espírito Santo”, já está citado o nome do Senhor Jesus Cristo, que é “o Senhor” mencionado por S. Paulo e S. Pedro, os quais recomendaram que os novos convertidos fossem batizados em nome do Senhor. Não pretendiam “desfazer” ou acrescentar o que Jesus Cristo determinara. E se deve entender que Judeus e prosélitos que se convertiam, conheciam o senhorio de Deus-Pai, e o Espirito Santo, pelo Ministério da profecia, no Antigo Testamento. Porém, tinham dúvida em aceitar ou admitir o senhorio de Jesus Cristo. Por essa razão os apóstolos deram ênfase a esse ponto. No entanto, é um pleonasmo, injustificável, repelir o batismo “em nome do Senhor”, pois, quando se diz, em nome do “FILHO”, é claro que se refere ao Senhor Jesus. Não há razão, para que se batize “em nome do Senhor”.

Não passa de uma estultícia.

BATISMO NÃO É SALVAÇÃO

Líderes da ‘’Congregação Cristã no Brasil” dão muita ênfase ao batismo. Sucede às vezes, quando efetuam batismo em lugares públicos, beiras de rios etc., convidarem, na hora da cerimônia, qualquer pessoa para serem “batizadas”. Até alguém embriagado, fumando ou de vida conhecidamente irregular, são convidadas c alguns até aceitam tomar banho com o nome de batismo. Não há razão para tanto empenho, para o batismo, pois o batismo não é salvação. Jesus disse: “Crer e for batizado”. Quer dizer, crer primeiro, não ser batizado primeiro. “For” é forma do futuro do subjuntivo. Quer dizer, a pessoa deve crer primeiro. Não é “crer” a posteriori. A Palavra deve ser entendida, como Ela é, e não como certos líderes querem, que seja. O ladrão, lá na cruz, não foi batizado, porem foi salvo, porque creu que Jesus Cristo era Senhor e tinha um Reino. – A resposta do Senhor Jesus Cristo, foi: “E disse-lhe Jesus: Em verdade te digo que hoje estarás comigo no Paraíso”. Não foi batizado, nem havia condições para que o fosse.

Batismo não é salvação.

Assim como a circuncisão era condição para que o israelita se integrasse à nação israelita, o batismo é a condição para que o novo- convertido se integre à Igreja, como membro. Há circunstâncias que impedem o convertido de ser batizado, nesse caso permanece como membro “congregado”, mas na salvação que recebeu por haver crido no Senhor Jesus Cristo.

O ÓSCULO SANTO

Líderes E membros da “Congregação Cristã no Brasil” recriminam membros de outras igrejas ou Denominações, por não adotarem o Ósculo ou beijo. E fazem “um cavalo de batalha”. Sucede, todavia, que o “ósculo santo” ou beijo, não salva. Ninguém é salvo ou deixa de ser salvo pelo fato de não adotar o ósculo.

PASTORES NO GOVERNO DA IGREJA

Outro erro dos LÍDERES DA IGREJA CRISTÃ NO BRASIL”, é o de não admitir o ministério de Pastor. Para “pastores” são os anciãos. E até injuriam outras igrejas evangélicas que seguem a doutrina certa, possuindo o ministério de pastores. Todavia, estão laborando em erro, porque o Senhor Jesus Cristo foi quem estabeleceu o ministério pastoral. É o que se encontra no Novo Testamento, pois na Carta de S. Paulo aos Efésios, lemos: “Ele mesmo (Jesus Cristo) deu uns para Apóstolos, e outros para profetas, e outros para evangelistas, e outros para PASTORES e doutores, querendo o aperfeiçoamento dos santos, para a obra do ministério, para edificação do corpo de Cristo.” – Ef. 4:11,12. O Apóstolo não diz: “deu uns para anciãos”. No antigo e Novo Testamento há muitas referências a Anciãos, mas não sentido de pastorear. Aliás, “Ancião” é um resíduo do judaísmo. Procedendo dessa forma, os referidos líderes estão acumulando erros, sobre erros. Não há que argumentar. E com respeito ao sustento do pastor da Igreja, o mesmo Apóstolo diz: “Porque diz a Escritura: Não ligarás a boca ao boi que debulha. E digno é o obreiro do seu salário” – I Tm 5:18. E o próprio Senhor Jesus disse”: Pois digno é o Obreiro do seu salário” – Luc. 10:7. Portanto, é melhor proceder para com os pastores, conforme o que a Palavra estabelece, do que usar de subterfúgios c supostas revelações.

Com respeito ao governo da Igreja local, o mesmo S. Paulo diz o seguinte, a Timóteo seu filho na fé, o Pastor: “Como te roguei, quando parti para a Macedônia, que ficasses em Éfeso, para advertires alguns, que não ensinem outra doutrina”. – 1 Tm 1:3. Ora, lá em Éfeso havia vários “anciãos”, mas não tinham a autoridade necessária para coibir e evitar erros doutrinários. Mas o Pastor Timóteo tinha-a, e por essa razão, o Apóstolo o incumbiu dessa responsabilidade. E se não houvesse necessidade do pastor na Igreja, o Senhor Jesus Cristo não teria “dado”, como já citamos.

A conclusão lógica a que se chega, é a de que os ensinadores da “Igreja Cristã no Brasil” estão errados, pois “contra a verdade, só pela verdade”. E o que diz o mesmo Apóstolo S. Paulo – II Co. 13:8.

O Apóstolo S. Paulo, Dr. das Gentes, recomenda aos crentes o ósculo santo, mas não como condição sine que non, para que alguém seja salvo. Deveriam os cristãos praticar o ósculo como prova de amor fraternal, como intimidade em Cristo Jesus. Não como condição indispensável para salvação. E o que encontramos em I Cor. 16:20 c Rom. 16:16. Portanto, não há motivo para que critiquem ou censurem outros que não praticam o ÓSCULO. Até porque, há beijos de Judas e beijos que suscitam carnalidade.

MONOPOLIO DO BATISMO COM ESPÍRITO SANTO

Líderes e membros da “Cristã no Brasil” se julgam com o monopólio do Batismo com o Espirito Santo, e os Dons espirituais. Principalmente. Obreiros e membros das Assembleias de Deus são por eles (da Cristã) acoimados de “endemoninhados”. Para eles, somente os membros da “Cristã no Brasil” recebem o batismo com Espírito Santo e os Dons, nem que bebam vinho até cair. E todos, entre eles, têm de falar uma forma de “língua estranha”. Todos usando uma mesma expressão. Entretanto, ao procederem dessa maneira – considerando “endemoninhados” outros crentes que não “falam” como eles, correm o risco de cometerem o pecado de blasfêmias contra o Espírito Santo.

Eles não podem “julgar o servo alheio”.

No caso das Assembleias de Deus, no Brasil, com mais de 60% dos Pentecostais neste País, e maioria batizada com Espírito Santo, o que representa milhões de servos de Deus, – para eles da “Cristã no Brasil”, estão todos “endemoninhados”. Só eles recebem batismo com Espírito Santo, São “primus inter-pares”. Pensam possuir o monopólio do batismo com o Espirito Santo.

Nós, das Assembleias de Deus, não os julgamos “endemoninhados” em que pese seu mau testemunho.

Ao expor esses fatos, não temos a intenção de atacar a Igreja “Congregação Cristã no Brasil”, mas refutar doutrinas erradas, que são impingidas como “certas”, e “mais certas” de todas.

Todavia, nos reservamos o direito de refutar suas doutrinas erradas, conflitantes com a Bíblia Sagrada, nossa regra de fé e governo.

DÍZIMOS E OFERTAS

Membros e Líderes da “Congregação Cristã no Brasil” criticam e acusam o Ministério e Obreiros das Assembleias de Deus por ensinarem o pagamento de Dízimos e Ofertas. Também nesse fato eles estão errados, porque o Dízimo é Bíblico. Só os avarentos dizem que o dízimo “foi para o Antigo Testamento”. Não o dizimo é apoiado pelo Senhor Jesus Cristo. Citamos o exemplo encontrado em S. Mateus 23:23, quando Jesus censurou os fariseus porque cobravam dízimos de hortelã, do endro e o cominho, mas desprezavam “o mais importante da Lei. o juízo, a misericórdia e a fé; deveis, porém, fazer estas coisas, e não omitir aquelas” – ou deveis praticar o juízo, ter misericórdia e a fé “E NÃO OMITIR AQUELAS”, isto é, NÃO DEIXAR DE COBRAR O DÍZIMO. Este é o sentido do texto. O Senhor Jesus não está proibindo de cobrar ou receber os dízimos, mas determinando que pratiquem a justiça, o juízo e a fé. Além disso, o Senhor Jesus Cristo não “aboliu” a contribuição com os dízimos. E acima de tudo, o Espírito Santo tem sancionado o ensino e contribuição de dízimos. E é muito mais certo, pela Bíblia ensinar e receber os dízimos, do que exigir contribuições até vultosas por intermédio de supostas “Revelações”. Como tem acontecido com membros na “Congregação Cristã no Brasil”, dos quais são exigidas grandes contribuições, por intimidações com “revelações” discutíveis. E também, esse ensino, de que as contribuições devem ser feitas “em secreto”, a fim de que a mão esquerda não veja o que faz a “direita”, é muito errado, porque o Senhor Jesus Cristo falou de esmolas – e dízimos e ofertas para a Obra do Senhor não são “esmolas”, senão vejamos o que diz a Palavra: – “Mas, quando tu deres ESMOLA, não saiba a tua mão esquerda o que faz a tua direita” – Mt. 6:3. Portanto, Jesus está falando de esmola e não da contribuição de Dízimos e Ofertas. Não há necessidade, nem é conveniente que alguém fique se vangloriando por ser dizimista, mas também não é segredo. E quantos dizimistas, nas Assembleias de Deus, tem sido abençoados, recompensados por Deus, por contribuírem com Dízimos e Ofertas. Os avarentos, porém, não gostam que se fale cm dízimos. Também os errados em doutrinas preferem utilizar outros meios, sempre distoantes do que está preceituado na Palavra de Deus.

O USO DO VÉU

O Apóstolo S. Paulo, na sua primeira carta ao Coríntios, diz: “Mas ter a mulher cabelo crescido lhe é honroso, porque o CABELO LHE FOI DADO EM LUGAR DO VÉU” 1Cor 11:15.

Em primeiro lugar, se deve considerar que a salvação não depende do uso do véu, ou não. Ela é obtida pela aceitação do Senhor Jesus como Salvador. E o Apóstolo diz que o CABELO CRESCIDO FOI DADO EM LUGAR DO VÉU. Então, se a mulher não corta o cabelo, deixando-o “crescido”, não necessita usar véu, porque o mesmo “lhe foi dado em lugar do véu”. Não há que argumentar.

A verdade é que os líderes da “Cristã no Brasil” preferem ensinar para que as mulheres da sua igreja usem o véu, ao invés de instruí-las para que conservem o cabelo “crescido”…

ORAÇÃO DE JOELHO

Convém que se ore de joelhos, porém Deus não ouve a oração somente quando nos ajoelhamos, porque às vezes as circunstâncias nos obrigam a orar noutras posições.

Em Atos 16:25, 26, encontramos: “Em perto da meia-noite. Paulo e Silas oravam e cantavam hinos a Deus, e os outros presos os escutavam”. Não está escrito que eles estavam ajoelhados. Até porque não tinham condições. No entanto, a oração foi ouvida por Deus, que respondeu com terremoto, que abalou os alicerces do cárcere. Temos o caso do rei Ezequias, que recebeu a mensagem que Deus enviara pelo Profeta Isaías, para que o rei se preparasse para morrer. No entanto. Ezequias orou em sua cama, deitado e virado o rosto para a parede. Orou nessa posição e Deus ouviu sua oração, acrescentando-lhe mais 15 anos de vida. – Isa 38:1-3.

Portanto, é bom orarmos de joelhos, porém nossas orações não deixam de ser ouvidas se o fizermos noutra posição.

————-

JOÃO PEREIRA DE ANDRADE E SILVA – 1990


Cada autor é responsável pelo conteúdo do artigo.

Deixe seu comentário

Advertisement