Esqueceu a senha?

Ressurreição corporal de Jesus

por Pr. Natanael Rinaldi - sáb nov 19, 12:08 am

Jesus e nicodemus

1 – QUAL A IMPORTÂNCIA DA FÉ NA RESSURREIÇÃO CORPORAL DE JESUS?

Etimologia da Palavra Ressurreição

O verbo ressuscitar, ou o substantivo ressurreição, no grego ”egeiro” significa “levantar”. Usa-se para indicar levantar dos mortos “anastasis” (do grego) que vem de dois vocábulos: ana (acima, para cima) e histemi (colocar em pé). Ressurreição, portanto, significa “levantar dentre os mortos” (Como Responder às Testemunhas de Jeová, p. 237). “A ressurreição de Cristo é a viga mestra e o pilar do Cristianismo. É um dos elementos básicos que distingue o cristianismo das grandes religiões (Esequias Soares da Silva).

A ressurreição corporal de Jesus é a prova principal de que Jesus era quem afirmava ser: Deus em forma humana. “Declarado Filho de Deus em poder, segundo o Espírito de santificação, pela ressurreição dos mortos, Jesus Cristo, nosso Senhor” (Romanos 1.4).

Na realidade, a ressurreição de Cristo em um corpo físico glorificado é de tamanha importância para a fé cristã que o Novo Testamento insiste que ninguém pode ser salvo sem ela. “O qual por nossos pecados foi entregue, e ressuscitou para nossa justificação” (Romanos 4.25 e 10.9; 1Coríntios 15.1-17).

 

2 – QUAIS SÃO AS SEITAS QUE NEGAM A RESSURREIÇÃO CORPORAL DE JESUS

E O QUE ENSINAM?

Testemunhas de Jeová

As Testemunhas de Jeová são os saduceus modernos. Os saduceus negavam a ressurreição dos mortos: “Porque os saduceus dizem que não há ressurreição, nem anjo, nem espírito; mas os fariseus reconhecem uma e outra coisa” (Atos 23.8).

Dentre as organizações religiosas que negam a ressurreição corporal de Jesus, alinham-se, com maior evidência, as Testemunhas de Jeová e os espíritas:

“Então que aconteceu ao corpo carnal de Jesus? – perguntam as Testemunhas de Jeová – Não encontraram os discípulos o seu túmulo vazio? Sim, porque Deus removeu o corpo de Jesus” (Poderá Viver para Sempre no Paraíso na Terra, p. 144/8).

E continuam com sua negação à ressurreição corporal de Jesus, dizendo: “Mas, visto que foi possível o apóstolo Tomé por sua mão no orifício no lado de Jesus, não mostra isso que Jesus foi ressuscitado no mesmo corpo que foi pregado na estaca? Não, pois Jesus simplesmente se materializou, ou assumiu um corpo carnal… “A fim de convencer Tomé quanto a quem Ele era, Ele usou um corpo com marcas de ferimento” (Poderá Viver, p. 144).

“JESUS DE NAZARÉ – Quem é Ele agora? O homem terrestre, Jesus de Nazaré, não mais existe. Foi morto em 33 EC. Assim, embora o homem Jesus de Nazaré esteja morto, Jesus Cristo está vivo” (DESPERTAI! 22 de dezembro de 1984, p. 20).

 

A Igreja da Unificação do Rev Moon

O livro Teologia da Unificação procura justificar o fracasso da obra redentora de Jesus, declarando: “Muitos estudiosos do Novo Testamento consideram lenda o sepulcro vazio”.

Lança Moon uma segunda hipótese para negar a ressurreição corporal de Jesus: “Talvez Jesus fora retirado da cruz antes da morte. Assim, ele apenas parecia ser crucificado, ou alguém tomou seu lugar na cruz, por exemplo Simão de Cirene. Essa é uma visão antiga, e disseminada na Arábia” (p. 205,207).

E se sua obra realizada no Calvário não fosse aceita por Deus, então ele não teria ressuscitado dentre os mortos. É isso que pretende ensinar Moon. Negando, com vários artifícios a ressurreição de Jesus, procura ele justificar a sua posição de Senhor do Segundo Advento que veio para estabelecer a família ideal sobre a terra, ao lado da esposa Hak Ja Kan, intitulada esposa do Cordeiro de Apocalipse 19.7.

 

Espiritismo

Dizem os espíritas: “Depois do suplício de Jesus, o seu corpo lá inerte e sem vida foi sepultado, como os corpos comuns, e todos puderam vê-lo e tocá-lo. Depois da ressurreição, quando quis deixar a Terra, não tornou a morrer; seu corpo elevou- se apagou-se e desapareceu, sem deixar vestígio algum – prova evidente de que morrera na cruz. Jesus teve, pois, como toda a gente, um corpo carnal e um corpo fluídico (A Gênese, p. 1055, Editora Opus Ltda., 2ª edição especial, 1985).

 

3 – QUAIS SÃO AS PROVAS BÍBLICAS DA RESSURREIÇÃO DE JEUS?

Novo Testamento é enfático ao declarar que Jesus ressuscitou com o mesmo corpo físico de carne e ossos com que morreu. A evidência para isso consiste no registro neotestamentário de várias aparições de Cristo aos seus discípulos durante o período de quarenta dias, no mesmo corpo físico marcado pelos pregos no qual morreu, agora mortal.

O mesmo corpo que deixou o túmulo foi visto diversas vezes vivo depois disso. A evidência desse fato é encontrada nas doze aparições, das quais as onze primeiras envolvem os quarenta dias após sua crucificação. “Aos quais também, depois de ter padecido, se apresentou vivo, com muitas e infalíveis provas, sendo visto por eles por espaço de quarenta dias, e falando das coisas concernentes ao Reino de Deus” (Atos 1.3).

 

Provas da Ressurreição Corporal de Jesus

DECLARAÇÕES DE JESUS QUE RESSUSCITARIA CORPORALMENTE: “Desde então começou Jesus a mostrar aos seus discípulos que convinha ir a Jerusalém, e padecer muitas coisas dos anciãos, e dos principais dos sacerdotes, e dos escribas, e ser morto, e ressuscitar ao terceiro dia” (Mateus 16.21).

“Responderam, pois, os judeus, e disseram-lhe: Que sinal nos mostras para fazeres isto? Jesus respondeu, e disse-lhes: Derribai este templo, e em três dias o levantarei. Disseram, pois, os judeus: Em quarenta e seis anos foi edificado este templo, e tu o levantarás em três dias? Mas ele falava do templo do seu corpo. Quando, pois, ressuscitou dentre os mortos, os seus discípulos lembraram-se de que lhes dissera isto; e creram na Escritura, e na palavra que Jesus tinha dito” (João 2.18-22).

O TÚMULO VAZIO: “E no primeiro dia da semana, muito de madrugada, foram elas ao sepulcro, levando as especiarias que tinham preparado, e algumas outras com elas. E acharam a pedra revolvida do sepulcro. E, entrando, não acharam o corpo do Senhor Jesus (Lucas 24.1-3).

 

APARIÇÕES

  1. À MARIA MADALENA: (Marcos 16.9). A primeira aparição pós-ressurreição de Jesus foi para Maria Madalena. Durante essa aparição houve provas inquestionáveis da visibilidade, materialidade e identidade do corpo ressurreto.
  2. a) Maria viu Jesus com seus olhos naturais. O texto diz: “Ela se voltou e viu Jesus ali, em pé”. A palavra ‘viu’ (theoreo) é a palavra normalmente usada para ‘ver a olho nu’. Aparece em outra passagem no Novo Testamento no sentido de ver seres humanos nos seus corpos físicos (Marcos 3.11 e 5.15; Atos 3.16) e até para ver o corpo de Jesus antes de ser ressuscitado (Mateus 27.55; João 6.19).
  3. b) Maria ouviu Jesus (João 20): “Mulher, por que está chorando? Quem você está procurando?” (verso 15) “então, mais uma vez, ela ouviu Jesus dizer: Maria e reconheceu sua voz” (verso 16).
  4. c) Maria tocou o corpo ressurreto de Jesus: “Jesus respondeu: Deixa de me tocar, porque ainda não subi ao Pai” (verso 17). A palavra ‘tocar’ (aptomai) é uma palavra normal para toque físico de outros corpos humanos (Mateus 8.3 e 9.29) e do corpo anterior à ressurreição de Cristo (Marcos 6.56; Lucas 6.19). Numa experiência paralela, as mulheres “aproximando-se, abraçaram-lhe os pés, e o adoraram” (Mateus 28.9).
  5. ÀS MULHERES (Mateus 28.1-9): Jesus não só apareceu para Maria Madalena, mas também para outros mulheres com ela, incluindo Maria, mãe de Tiago e Salomé (Marcos 16.1). Durante essa aparição houve quatro evidências de que Jeus ressusictiou no mesmo corpo físico e tangível no qual fora crucificado.

Primeiro, as mulheres viram Jesus. Um anjo lhes disse: “Ide depressa, e dizei aos seus discípulos que ressurgiu dos mortos; e eis que vai adiante de vós para a Galileia; ali o vereis. Eis que vô-lo tenho dito” (Mateus 28.7). E enquanto elas corriam do túmulo: “E eis que Jesus lhes veio ao encontro, dizendo; Salve. E elas, aproximando-se, abraçaram-lhe os pés, e o adoraram” (Mateus 28.9).

Segundo, as mulheres abraçaram-lhe os pés e o adoraram, isto é, não só viram seu corpo físico, mas o sentiram também. Como entidades espirituais não podem ser percebidas com nenhum dos sentidos, o fato de que as mulheres realmente tocaram o corpo físico de Jesus é prova convincente da natureza física e tangível do corpo ressurreto.

Terceiro, as mulheres ouviram Jesus falar. Depois de saúda-las (verso 9), Jesus disse: “Não temais; ide dizer a meus irmãos que vão para a Galileia; ali me verão” (verso 10).

Quarto, as mulheres viram o túmulo vazio onde o corpo permanecera. O anjo disse a elas no túmulo: “Não está aqui, porque ressurgiu, como ele disse. Vinde, vede o lugar onde jazia” (verso6). O ‘ele’ que jazia agora está vivo, o que foi demonstrado pelo fato de que o mesmo corpo que jazia ali está vivo agora para sempre. Assim, tanto no caso de Maria Madalena quanto no das outras mulheres, todas as quatro evidências da ressurreição física e visível do corpo idêntico estavam presentes. Elas viram o túmulo vazio onde seu corpo físico jazia, viram, ouviram e tocaram o mesmo corpo depois que saiu do túmulo.

  1. A PEDRO (João 20.6-7; 1Coríntios 15.5): 1Coríntios 15.5 declara que Jesus “apareceu a Cefas”. Apareceu a Pedro noutra ocasião quando pediu a Pedro para cuidar de suas ovelhas (João 21.15-17). Pedro viu o túmulo vazio e os lençóis logo antes dessa aparição (João 20.6-7). Portanto, Pedro teve pelo menos três evidências da ressurreição física: ele viu e ouviu Jesus, e observou o túmulo vazio e os lençóis. Essas são as evidências definitivas de que o corpo que ressuscitou era o mesmo corpo material, visível e tangível que Jeus tinha antes da ressurreição.
  2. NO CAMINHO DE EMAÚS (Lucas 24.13-35). Durante essa aparição, três evidências da ressurreição física foram apresentadas. Dois discípulos não só viram e ouviram Jesus, mas também comeram com ele. Combinadas, elas provam claramente a natureza física, tangível, do corpo ressurreto.

Dois discípulos, um se chamava Cleopas (Lucas 24.18) “enquanto andavam em direção a Emaús …o próprio Jesus se aproximou, e ia com eles” (Lucas 24.15). A princípio não reconheceram quem ele era; no entanto eles o viram claramente. Quando finalmente perceberam quem era, o texto diz “nisto ele desapareceu diante deles” (Lucas 24.31). O corpo ressurreto de Jesus era visível como qualquer outro objeto.

Eles ouviram Jesus com seus ouvidos físicos (versos 17,19,25 e 26). Na verdade, Jesus conversou por um bom tempo com eles: “E, começando por Moisés, e por todos os profetas, explicou-lhes o que dele se achava em todas as Escrituras” (verso 27). É claro que eles não foram os únicos a quem Jesus ensinou depois da ressurreição. Lucas nos informa em outra passagem que Jesus “depois de haver padecido, se apresentou vivo, com muitas provas infalíveis, aparecendo-lhes por espaço de quarenta dias, e lhes falando das coisas concernentes ao reino de Deus” (Atos 1.3).

 

  1. ELES COMERAM COM ELE (Lucas 24.30): “Estando com eles à mesa, tomou o pão e o abençoou; e, partindo-o, lho dava”. Embora ao texto não diga especificamente que Jesus também comeu, isso é sugerido por estar “à mesa” com eles. E mais tarde nesse mesmo capítulo é afirmado explicitamente que ele comeu com os dez apóstolos: “Perguntou-lhes Jesus: Tendes aqui alguma coisa que comer? Então lhe deram um pedaço de peixe assado, o qual ele tomou e comeu diante dele”. (Lucas 24.41-43) O que torna essa passagem uma prova tão poderosa é que Jesus ofereceu sua capacidade de ingerir comida física, como prova da natureza material de seu corpo de carne e osso. Jesus literalmente exauriu as maneiras em que poderia provar a natureza corpórea e material do seu corpo ressurreto. Logo, se o corpo ressurreto de Jesus não era o mesmo corpo material de carne e osso em que morreu, ele estaria enganando a todos.
  2. AOS ONZE (João 20.24-31): Tomé não estava presente quando Jesus apareceu aos seus discípulos (João 20.24). Depois de seus colegas relatarem quem haviam visto, Tomé recusou-se a acreditar sem que ele mesmo visse a Cristo e tocasse nele. Uma semana depois seu pedido foi atendido: “Oito dias depois estavam os discípulos outra vez ali reunidos, e Tomé com eles. Chegou Jesus, estando as portas fechadas, pôs-se no meio deles e disse: Paz seja convosco” (João 20.26). Quando Jesus apareceu, Tomé viu, ouviu e tocou o Senhor ressurreto.

Tomé viu o Senhor. Jesus era claramente visível para Tomé, por isso mais tarde, lhe disse: “Porque me viste, creste?” (João 20.29). Tomé também ouviu o Senhor dizer: “Chega aqui o teu dedo, e vê as minhas mãos; chega a tua mão, e mete-a no meu lado; e não mais sejas incrédulo, mas crente” (verso 27). À essa demonstração indubitavelmente convincente de evidência física, Tomé respondeu: “Senhor meu, e Deus meu!” (verso 28). Se Tomé tocou em Jesus, certamente viu as suas feridas da crucificação (João 20.27-29). O fato de Jesus ainda ter essas marcas físicas da sua crucificação é a prova inquestionável de que ele ressuscitou com o corpo material que foi crucificado.

  1. AOS SETE DISCÍPULOS (João 21.12-14): João registra a aparição de Jesus aos sete discípulos que foram pescar na Galileia. Durante essa aparição, os discípulos viram Jesus, ouviram suas palavras e comeram com ele.

A Bíblia diz: “Depois disto manifestou-se Jesus outra vez aos discípulos junto do mar de Tiberíades; mas, ao romper da manhã, Jesus se apresentou na praia” (verso 4). Depois de Jesus conversar e comer com eles, o texto diz: “Foi esta a terceira vez que Jesus se manifestou aos seus discípulos, depois de ter ressurgido dentre os mortos” (verso 14). Ao que parece, Jesus também comeu com os discípulos durante essa aparição. Ele perguntou: “Filhos, não tendes nada que comer?” (verso 6). Jesus disse: “Vinde, comei” (verso 12). Enquanto faziam isso: “Chegou Jesus, tomou o pão e deu-lho, e semelhantemente o peixe” (verso 13).

  1. AOS APÓSTOLOS NA GRANDE COMISSÃO (Mateus 28.16-20; Marcos 16.14-18). A próxima aparição de Jesus foi na Grande Comissão. Enquanto Jesus os comissionava a discipular todas as nações, foi visto e claramente ouvido por todos os apóstolos. Jesus disse: “E, aproximando-se Jesus, falou-lhes, dizendo: Foi-me dada toda a autoridade no céu e na terra. Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo” (Mateus 28.18-19).
  2. AOS QUINHENTOS IRMÃOS (1Coríntios 15.6): Não há um relato dessa aparição. Ela só é mencionada por Paulo onde ele diz: “depois apareceu a mais de quinhentos irmãos duma vez, dos quais vive ainda a maior parte, mas alguns já dormiram”.
  3. A TIAGO (1Coríntios 15.7): Os irmãos de Jesus eram incrédulos antes da ressurreição. João nos informa que “nem seus irmãos criam nele” (João 7.5). Mas, após a ressurreição, pelo menos Tiago e Judas, meio-irmãos de Jesus, creram (Marcos 6.3). Tiago tornou-se um pilar da igreja primitiva e teve um papel importante no primeiro concílio (Atos 15.3).
  4. NA ASCENSÃO (Atos 1.9-11): A última aparição de Jesus antes da sua ascensão foi novamente para todos os apóstolos. Nessa ocasião eles o viram, ouviram e comeram com ele. Essas três linhas de evidência são a confirmação final da natureza material de seu corpo ressurreto. Jesus foi visto pelos apóstolos nessa ocasião. Lucas diz: “aos quais também, depois de haver padecido, se apresentou vivo, com muitas provas infalíveis, aparecendo-lhes por espaço de quarenta dias, e lhes falando das coisas concernentes ao reino de Deus” (Atos 1.3).
  5. A PAULO (Atos 9.1-9; 1Coríntios 15.8): A última aparição de Jesus foi a Paulo. É importante observar que essa aparição não foi uma visão que ocorreu apenas na mente de Paulo. Na verdade, foi um evento objetivo, externo, observável a todos os que estavam a uma distância visual. Paulo denominou “aparição” (no grego ophthe), a mesma palavra usada para as aparições literais de Cristo aos outros apóstolos (1Coríntios 15.5- 7). Na realidade Paulo a denomina “última” aparição de Cristo aos apóstolos. Ver o Cristo ressurreto era condição para ser um apóstolo (Atos 1.22). Mas Paulo afirmou ser um apóstolo, dizendo: “Não sou apóstolo? Não vi eu a Jesus nosso Senhor?”

 

4 – A NATUREZA DE SEU CORPO RESSURRETO

  1. ERA UM CORPO REAL

“E, dizendo isto, mostrou-lhes as suas mãos e o lado. De sorte que os discípulos se alegraram, vendo o Senhor” (João 20.20). “Depois disse a Tomé: Põe aqui o teu dedo, e vê as minhas mãos; e chega a tua mão, e põe-na no meu lado; e não sejas incrédulo, mas crente” (João 20.27).

  1. FOI IDENTIFICADO COM AQUELE QUE FORA COLOCADO NO TÚMULO: “Disseram-lhe, pois, os outros discípulos: Vimos o Senhor. Mas ele disse-lhes: Se eu não vir o sina! dos cravos em suas mãos, e não puser o dedo no lugar dos cravos, e não puser a minha mão no seu lado, de maneira nenhuma o crerei. E oito dias depois estavam outra vez os seus discípulos dentro, e com eles Tomé. Chegou Jesus, estando as portas fechadas, e apresentou-se no meio, e disse: Paz seja convosco. Depois disse a Tomé: Põe aqui o teu dedo, e vê as minhas mãos; e chega a tua mão, e põe-na no meu Sado; e não sejas incrédulo, mas crente. E Tomé respondeu, e disse-lhe: Senhor meu, e’ Deus meu! Disse-lhe Jesus: Porque me viste, Tomé, creste; bem- aventurados os que não viram e creram” (João 20.25-29).

“E falando eles destas coisas, o mesmo Jesus se apresentou no meio deles, e disse-lhes: Paz seja convosco. E eles, espantados e atemorizados, pensavam que viam algum espírito. E ele lhes disse: Por que estais perturbados, e por que sobem tais pensamentos aos vossos corações? Vede as minhas mãos e os meus pés, que sou eu mesmo; apalpai-me e vede, pois um espírito não tem carne nem ossos, como vedes que eu tenho. E, dizendo isto, mostrou-lhes as mãos e os pés. E, não o crendo eles ainda por causa da alegria, e estando maravilhados, disse-lhes: Tendes aqui alguma coisa que comer?” (Lucas 24.36-41).

 

  1. FOI TRANSFORMADO DE MODO A NUNCA MAIS SER SUJEITO À MORTE E A LIMITAÇÕES:

“Sabendo que, tendo sido Cristo ressuscitado dentre os mortos, já não morre; a morte não mais tem domínio sobre ele” (Romanos 6.9).

  1. O CORPO DE JESUS NÃO VIU A CORRUPÇÃO

Deus garantiu que o corpo do Senhor Jesus não veria a corrupção, isto é, não se decomporia (Salmo 16.10; Atos 2.24-30). Logo, o corpo de Jesus que foi crucificado não ficou na sepultura.

 

  1. ERA UM CORPO GLORIFICADO DE CARNE E OSSOS

“E falando eles destas coisas, o mesmo Jesus se apresentou no meio deles, e disse-lhes: Paz seja convosco. E eles, espantados e atemorizados, pensavam que viam algum espírito. E ele lhes disse: Por que estais perturbados, e por que sobem tais pensamentos aos vossos corações? Vede as minhas mãos e os meus pés, que sou eu mesmo; apalpai-me e vede, pois um espírito não tem carne nem ossos, como vedes que eu tenho. E, dizendo isto, mostrou-lhes as mãos e os pés. E, não o crendo eles ainda por causa da alegria, e estando maravilhados, disse-lhes: Tendes aqui alguma coisa que comer? Então eles apresentaram-lhe parte de um peixe assado, e um favo de mel; o que ele tomou, e comeu diante deles” (Lucas 24.36-43).

“Mas a nossa cidade está nos céus, de onde também esperamos o Salvador, o Senhor Jesus Cristo, que transformará o nosso corpo abatido, para ser conforme o seu corpo glorioso, segundo o seu eficaz poder de sujeitar também a si todas as coisas” (Filipenses 3.20-21).

Visões não são acompanhadas de manifestações físicas, tais como luz e uma voz.

Nota: Transcrito do livro “Enciclopédia de Apologética”, de Norman Geisler (Respostas aos Críticos da Fé Cristã) e adaptado por Pr. Natanael Rinaldi.

 

5 – QUAIS SÃO AS OBJEÇÕES CONTRA A RESSURREIÇÃO CORPORAL DE JESUS?

OBJEÇÃO 1: Jesus materializou um corpo como os anjos o fizeram no passado (Gênesis 19.1-3).

RESPOSTA APOLOGÉTICA: Os anjos assumiram corpos porque eram incorpóreos (Hebreus 1.14) e nenhum deles tinha morrido. Jesus, no entanto “tornou-se carne” (João 1.14), nascendo de uma virgem (Mateus 1.23; Hebreus 10.5) e era realmente humano (1João 4.1-3; 2João 7). Morreu e ressuscitou corporalmente (Lucas 24.39-43).

OBJEÇÃO 2: Jesus não foi reconhecido por seus discípulos. Perguntam: “Se Jesus ressuscitou fisicamente, por que Maria Madalena, os discípulos de Emaús e outros não o reconheceram prontamente?

RESPOSTA APOLOGÉTICA:

  1. Maria Madalena (João 20.11-18): Era escuro quando Maria foi ao sepulcro (João 20.1).
  2. Os discípulos de Emaús (Lucas24.13-35): O problema não estava no corpo de Jesus, mas nos olhos dos discípulos (Lucas 24.16). Quando seus olhos foram abertos eles o reconheceram (Lucas 24.31, comparar com 2Reis 6.8-18).

OBJEÇÃO 3: Carne e sangue não herdam o reino de Deus (1Coríntios 15.50). Morto na carne e ressuscitado em espírito (1Coríntios 15.45; 1Pedro 3.18).

RESPOSTA APOLOGÉTICA:

  1. Carne e sangue (1 Coríntios 15.50). Indica o homem natural em estado corruptível, mortal, que não pode herdar realmente o reino de Deus, a menos que seja transformado, ou que seja ressuscitado em corpo incorruptível e imortal (1Coríntios 15.51-53).
  2. Tornou-se espírito vivificante (1 Coríntios 15.45). Falando de Jesus como o segundo Adão, significa que não só vive, mas concede vida, ao contrário de Adão que trouxe morte (Romanos 5.12).
  3. Vivificado no espírito (ou pelo Espírito). Significando que peo Espírito Santo Jesus foi ressuscitado, e que o mesmo Espírito ressuscitará nossos corpos mortais. “E, se o Espírito daquele que dentre os mortos ressuscitou a Jesus habita em vós, aquele que dentre os mortos ressuscitou a Cristo também vivificará os vossos corpos mortais, pelo seu Espírito que em vós habita” (Romanos 8.11-NVI).

OBJEÇÃO 4: Deus removeu o corpo de Jesus como havia removido o corpo de Moisés (Deuteronômo 34.5-6).

RESPOSTA APOLOGÉTICA: O corpo de Moisés não foi removido da sepultura, mas o seu túmulo foi escondido em lugar que ninguém o encontrou, ao passo que o sepulcro de Jesus foi encontrado, mas não o seu corpo (Lucas 24.1-3).

OBJEÇÃO 5: O homem terrestre, Jesus de Nazaré, não mais existe. Foi morto no ano 33.

RESPOSTA APOLOGÉTICA: Alguns dias depois da ascensão de Jesus, Pedro e João curaram o coxo de nascença à porta do templo, em nome de Jesus, o Nazareno: “E disse Pedro: Não tenho prata nem ouro; mas o que tenho isso te dou. Em nome de Jesus Cristo, o Nazareno levanta-te e anda” (Atos 3.6).

Jesus, homem é nosso mediador.

  1. a) “Porque há um só Deus, e um só Mediador entre Deus e os homens, Jesus Cristo homem” (1Timóteo 2.5);
  2. b) Jesus está no céu como Filho do Homem (Atos 7.56);
  3. c) Voltará como Filho do Homem (Mateus 24.30);
  4. d) Julgará o mundo como homem ressuscitado (Atos 17.31).

Não indica tudo isso uma natureza corporal, física, ainda que glorificada? (Filipenses 3.20-21).

OBJEÇÃO 6: Jesus ressuscitado era um espírito glorificado, não tinha o corpo glorificado.

RESPOSTA APOLOGÉTICA: Paradoxo: Morre um corpo sem espírito (segundo as Testemunhas de Jeová) e ressuscita um espírito sem corpo. Ressurreição espiritual ocorre com os mortos espirituais e não com os mortos físicos. “Portanto, se já ressuscitastes com Cristo, buscai as coisas que são de cima, onde Cristo está assentado à destra de Deus” (Colossenses 3.1).


Cada autor é responsável pelo conteúdo do artigo.

Deixe seu comentário

Advertisement