Esqueceu a senha?

Sobre Falsos Cristos e Discernimento

por Artigo compilado - dom ago 05, 11:49 am

Nos últimos dias o mundo evangélico tem sido surpreendido com a notícia de que alguns conhecidos artistas do ramo gospel não só vão participar, mas estão permitindo que suas imagens sejam usadas para promover uma reunião organizada pela viúva do reverendo Moon, a dra. Hak Ja Han Moon (no momento da escrita deste artigo, as fotos e os nomes dos cantores no site onde o show era promovido foram retirados). De modo geral, seria desnecessário alertar qualquer cristão maduro sobre o falso mestre reverendo Moon, já falecido; no entanto, mesmo para quem não o conhece, basta alguns minutos na internet para entender o que este grupo ensina. A dra. Hak Ja Han Moon é a continuadora da obra de seu marido. Este pregava que: (1) ele próprio era o segundo Messias, pois Cristo não cumpriu sua tarefa; (2) Jesus, apesar de perfeito, não era Deus; (3) ele havia recebido revelações de Cristo, Abraão, Moisés, Maomé e Buda; e (4) Jesus não ressuscitou em corpo. Dentro de suas pregações, ela e o marido afirmavam que eles eram os Pais Verdadeiros que iriam implementar o reino de Deus na terra.

Isso tudo foi levantado em uma pesquisa rápida na internet, verificando as fontes para evitar notícias falsas. O que então levou os artistas evangélicos Priscilla Alcantara, Aline Barros, Thalles Roberto e André Valadão a se comprometer e promover este evento? Será que eles não checaram nada? Será que seus líderes espirituais não os alertaram? Será que o turbilhão de atividades e de agendas os levou a serem descuidados? Será que não se preocupam com seus seguidores, que serão expostos à uma pregação tão destrutiva? Infelizmente, esse não é um caso isolado; outros líderes evangélicos já participaram de eventos promovidos por esta seita, talvez levados pelas belas palavras e pelo engano que ela promove. Afinal, qual cristão não quer promover a paz e a família (propósitos declarados do evento)? Então, será que, sendo os propósitos válidos, é legítimo participar? O próprio apóstolo Paulo, combatendo os falsos mestres de sua época, nos deixa um alerta, muitas vezes ignorado…

Pois tais homens são falsos apóstolos, obreiros enganosos, fingindo-se apóstolos de Cristo. Isso não é de admirar, pois o próprio Satanás se disfarça de anjo de luz. Portanto, não é surpresa que os seus servos finjam que são servos da justiça. O fim deles será o que as suas ações merecem. (2Coríntios 11.13-15)

Não posso crer que todos sabiam disso e ainda assim foram adiante. Prefiro pensar que faltou a eles (como a tantos de nós) discernimento na hora de uma escolha. E isso deve ficar como um alerta, pois encaramos escolhas o tempo todo. Desde qual roupa colocar pela manhã, passando pelo que comer, até qual caminho tomar para o trabalho ou estudo. E estas são as escolhas fáceis e de praticamente nenhum impacto espiritual! As que realmente nos desafiam são mais na linha do “onde devo investir meu tempo?” ou ainda “gostaria de me dedicar mais a Deus, mas para isso teria de abrir mão de coisas das quais eu gosto”. Em resumo, nossa vida é o resultado da somatória de escolhas que fazemos.

Mas, como escolher? Especialmente, como escolher entre duas opções que são aparentemente boas? Nenhum cristão sério teria dificuldade em escolher entre aceitar um trabalho difícil ou traficar drogas. O que torna nossas escolhas difíceis são (1) lidar com nossos próprios anseios e (2) nossa percepção da realidade. O primeiro fator (anseios) vamos tratar em outro artigo, mas a questão de como percebemos a realidade é fundamental para qualquer ser humano e particularmente para o cristão. Esta capacidade está intimamente relacionada ao conceito de discernimento.

Por que é importante desenvolver discernimento? No caso de artistas e líderes gospel, para não cair no constrangimento de se ver promovendo (conscientemente ou não) uma seita que nega a divindade de Cristo. Para todos os cristãos, no entanto, este alerta serve para que permaneçamos firmes no evangelho que nos foi passado. Paulo já alertava a Timóteo:

O Espírito diz claramente que nos últimos tempos alguns abandonarão a fé e seguirão espíritos enganadores e doutrinas de demônios. (1Timóteo 4.1)

Discernimento é definido como a “capacidade de compreender situações, de separar o certo do errado”. Esta definição se aproxima muito daquilo que o autor de Hebreus descreve:

Quem se alimenta de leite ainda é criança e não tem experiência no ensino da justiça. Mas o alimento sólido é para os adultos, os quais, pelo exercício constante, tornaram-se aptos para discernir tanto o bem quanto o mal. (Hebreus 5.13-14)

Primeiramente o autor de Hebreus define quem precisa de leite: aquele que é inexperiente na palavra da justiça. Infelizmente, esta descrição incluiria muitos dos cristãos evangélicos. Os quais, embora já tenham tempo de caminhada com Cristo, preferiram ficar no leite e não progredir para algo mais sólido. Alimento sólido dá mais trabalho para consumir; o leite é mais fácil, não exige esforço. Contudo, todo o nosso corpo foi criado para alimentos sólidos e não para permanecer no leite. Alguns cristãos, no entanto, preferem o leite de momentos de emoção com experiências sensoriais intensas e de curta duração em detrimento de estudar a Palavra, entender suas implicações, examinar suas próprias vidas e buscar o Senhor de modo consistente.

O autor continua definindo quem é o adulto cristão. A primeira expressão que usa é a prática (hexis). Esta palavra poderia ser traduzida por “hábito” ou “uso prolongado”. Ou seja, uma pessoa não se torna adulta na fé sem algumas práticas consistentemente aplicadas ao longo do tempo. A segunda expressão é “faculdades” (asthetherion), que pode ser traduzido por “órgão de percepção”. O autor destaca que aquilo que precisa ser usado ao longo do tempo não é intuição, tão preciosa para muitos de nós, mas sim a percepção. Intuição é a “faculdade ou ato de perceber, discernir ou pressentir coisas, independentemente de raciocínio ou de análise”. Já a percepção é a “faculdade de apreender por meio dos sentidos ou da mente”. Precisamos manter os olhos abertos, precisamos examinar o que se apresenta a nós. Esta faculdade ou percepção precisa ser exercitada (gumnazo). A expressão exercitada referia-se ao exercício físico praticado por atletas gregos. Sendo casado com uma atleta, sou testemunha do tempo investido em exercícios, mesmo quando o tempo não está agradável e o corpo preferiria descansar. A diferença entre um atleta e um sedentário não começa em seu corpo, mas sim no tempo investido em exercícios. Nossa percepção não será exercitada descansando ou ouvindo uma pregação por semana sem examinar pessoal e atentamente a Escritura. Talvez por isso não percebemos o que o inimigo nos oferece e acabamos aceitando seus convites enganosos. É por meio deste exercício constante que nos tornamos aptos para discernir o bem e o mal. Aquele que desenvolveu seu discernimento não será facilmente enganado.

Não sei o que vai acontecer com este show em São Paulo. Minha sincera oração é que os artistas mencionados caiam em si e abandonem sua associação com esta seita diabólica! Minha oração é que seus fãs percebam o engano que há por trás deste evento e não se deixem seduzir por seus artistas favoritos e pelo engano do Diabo. Minha oração é que líderes evangélicos se posicionem cuidando de seus liderados e alertando para enganos como este, especialmente quando seus liderados tem o potencial de impactar muitas vidas. Por fim, minha oração é que você comece, ou continue, na prática de examinar suas opções, continue a buscar o Senhor e a estudar sua Palavra. Assim, muitos homens e mulheres de discernimento se levantarão em nosso país para proclamar o verdadeiro evangelho.

Atualização: No dia seguinte à publicação deste artigo, na quarta feira (25/07/2018) cada um dos artistas mencionados cancelou sua participação neste evento e o evento deixou de ser mostrado na programação do Alianz Parque.

Extraído do site da Chamada em 05/08/2018


Cada autor é responsável pelo conteúdo do artigo.

Deixe seu comentário

Advertisement