Esqueceu a senha?

TJs e transfusões de sangue: Ortodoxia ou cegueira?

por Artigo compilado - sex nov 07, 2:18 pm

Queridos amigos, não é nenhuma novidade que a Sociedade Torre de Vigia (a liderança internacional das Testemunhas de Jeová) é inflexível na questão das transfusões de sangue. Para elas, Deus proíbe as transfusões e usam as escrituras para tentar provar a sua alegação.

A pergunta é: Será que realmente as escrituras apontam esta proibição? A exortação dada pelas sagradas letras proíbem de fato a transfusão de sangue?

Antes de mais nada, faço questão de deixar bem claro que este artigo NÃO tem como finalidade denigrir qualquer pessoa que faça parte da organização TJ (Testemunhas de Jeová), mas sim de contribuir com a reflexão baseada também nas escrituras sagradas provando de uma vez por todas que a proibição de transfusão sanguínea não faz parte da ortodoxia cristã.

Pois bem, a trajetória da STV (Sociedade Torre de Vigia) com o tópico sangue é digna de um transtorno bipolar com doses de esquizofrenia, veremos abaixo de acordo com as próprias publicações da STV que num certo momento a Organização reflete que o abster-se do sangue é no sentido de alimentar-se, depois esta reflexão sofre uma mudança de entendimento, onde afirmam que é proibida a transfusão e infusão sanguínea sendo ela em qualquer fração e por ultimo a mesma doutrina envolvendo o sangue é mudada outra vez, agora o uso de porções do sangue já pode ser aceito.

Jovem brasileiro que morreu após rejeitar transfusões, seguindo a doutrina da Torre de Vigia

A Sentinela 01 de fevereiro de 1959, págs. 95 e 96:

 Perguntas dos leitores -”Não, não parece necessário classificarmos as duas coisas na mesma categoria… Toda vez que se menciona a proibição de sangue nas escrituras é com relação a tomá-lo como alimento, e assim, é como nutriente que nos interessa a sua proibição… A injeção de anticorpos no sangue tendo como veículo o soro de sangue ou o uso de frações de sangue para criar tais anticorpos não é o mesmo que tomar sangue, …fazê-lo não parece estar incluído na expressa vontade de Deus ao proibir o sangue como alimento. Seria, portanto, assunto de decisão individual quanto a aceitar ou não tais tipos Sentinela de 15 de março de 1962, pág. 174, pars. 16 e 19.

A Sentinela de 15 de julho de 1963, pág. 443: É errado suster a vida mediante infusões de sangue, plasma, glóbulos vermelhos ou várias frações de sangue? Sim! … Quer seja sangue integral quer fração de sangue, … Quer seja administrado por transfusão quer por injeção, a lei divina se aplica”

A Sentinela 01/06/1990, pag 30: Aceitam as Testemunhas de Jeová injeções de frações do sangue, tais como imunoglobulinas ou albuminas?
Algumas aceitam, crendo que as Escrituras não proíbem explicitamente que se aceite a injeção de pequenas frações, ou componentes, extraídas do sangue.
Foi o Criador quem primeiro impôs a toda a humanidade a obrigação de evitar ingerir sangue: “Todo animal movente que está vivo pode servir-vos de alimento. . . . Somente a carne com a sua alma — seu sangue — não deveis comer.” (Gênesis 9:3, 4) O sangue era sagrado e por isso só podia ser usado em sacrifícios. Não sendo usado para esse fim, devia ser derramado no solo. — Levítico 17:13, 14; Deuteronômio 12:15, 16.

Em meio a este mar revolto de idas e vindas de entendimentos surgem dúvidas gritantes:

– Quantos pais enterraram seus filhos ou filhos enterraram seus pais, pois não aceitaram transfusões ou até frações de sangue de 1963 a 1990?
– E agora veem que a própria STV que antes ensinava a proibição até de frações agora tem a liberação do uso?
– Será que foi uma purificação de entendimento proporcionado por Jeová?

Como diz as escrituras: “Meu povo foi destruído por falta de conhecimento – Oséias 4:6”

Queridos irei expor uma seguinte perspectiva de entendimento sobre a temática do sangue através do entendimento bíblico sobre a antiga aliança (AT) numa perspectiva de ação pelo próprio Cristo na nova aliança (NT).
Vamos nos atentar aos seguintes relatos bíblicos:

Comer o pão da proposição conforme orienta a Lei só poderia ser pelos sacerdotes (da linhagem de Arão), conforme orienta Levítico 24:9, porém Davi comeu este pão e não era sacerdote, vejamos: Então o sacerdote lhe deu o pão sagrado, porquanto não havia ali outro pão senão os pães da proposição – 1 Samuel 21:6 .
Davi pecou em comer do pão da proposição?

Líderes e pastores da seita impõe aos fiéis a proibição como se ela viesse do próprio Deus, entretanto, tal doutrina só passou a existir a partir da década de 1940.

O sábado era reservado para o descanso de nossas obras (atividades próprias Isaias 58:13-14) para nos santificarmos ao SENHOR:

“Lembra-te do dia do Sábado para o santificar. Seis dias trabalharás e farás toda a tua obra. Mas o sétimo dia é o sábado do Senhor, teu Deus; não farás nele nenhum trabalho, nem tu, nem o teu filho, nem a tua filha, nem o teu servo, nem a tua serva, nem o teu animal, nem o forasteiro das tuas portas para dentro; porque, em seis dias, fez o Senhor os céus a terra, o mar e tudo o que neles há, e, no sétimo dia, descansou; por isso, o Senhor abençoou o dia de Sábado e o santificou”. Êxodo 20: 8-11

Cristo realizou cura no sábado (Mateus 12), seus discípulos tiverem que colher no sábado para comerem (Mateus 12). Cristo, O Filho de Deus e os seus discípulos estariam infringindo a Lei?

Respondendo as perguntas acima, Davi não pecou contra Deus assim como Cristo e seus discípulos não infringiram a Lei.

Será que Deus se agradaria mais em ver Davi passar fome vendo ele não comendo o pão da proposição?
Será que Deus se agradaria mais em ver a cura de uma pessoa em qualquer dia da semana menos no sábado, assim como se agradaria mais que os discípulos de Cristo passassem fome no sábado deixando para colher no domingo para saciar a fome?

CLARO QUE NÃO!

Cristo ensina formidavelmente no capitulo 12 de Mateus que a “ortodoxia” dos fariseus não era a forma certa de interpretação em relação ao descanso do sábado inscrita na Lei.
Os fariseus colocaram um fardo pesadíssimo por falta de interpretação das sagradas letras.
O amor, o carinho, a graça é o pilar de Deus, pois Deus é amor (1 João 4:8), e Cristo magistralmente fala: “Portanto, é permitido fazer o bem no sábado” – Mateus 12:12, endossando:” O sábado (Lei) foi feito por causa do homem, e não o homem por causa do sábado(Lei)” – Marcos 2:27.

Agora eu pergunto:

Qual a finalidade da transfusão de sangue?
Salvar vidas ou é uma atividade herética, um tipo de culto pagão, etc..?
SALVAR VIDAS – FAZER O BEM!

Por isso eu concluo que mesmo se houvesse a seguinte determinação da lei: “É PROIBIDO AO HOMEM QUALQUER CONTATO OU MANUSEIO DE QUALQUER SANGUE ANIMAL OU HUMANO”, ainda sim a transfusão não seria algo desagradável a Deus.

Extraído do site http://www.extj.com.br/t em 07/11/2014


Cada autor é responsável pelo conteúdo do artigo.

Deixe seu comentário

Comentários fechados neste artigo.