Esqueceu a senha?

TJs: escravas do “Escravo Fiel e Discreto”

por Artigo compilado - sex jun 12, 10:58 am

tj-anciao

I Coríntios 1.10 – Rogo‑vos, irmãos, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo, que sejais concordes no falar, e que não haja dissensões entre vós; antes unidos no mesmo pensamento e no mesmo parecer.

A Sociedade Torre de Vigia usa este versículo para impor sobre seus seguidores um grau de conformidade quase inacreditável para nós. Mas, ao invés de se irritar com isso, as testemunhas orgulham‑se de sua total obediência à Sociedade, como evidência de que são os únicos cristãos verdadeiros, porque só entre elas “todos falam de acordo” e são “unidas na mesma mente e na mesma maneira de pensar” (I Cor. 1:10, Tradução do Novo Mundo).

São especialmente instruídas a “não aceitar ou ler a literatura religiosa das pessoas que encontram” (A Sentinela, edição norte­-americana, 01/05/84, p.31), não dar ouvidos a “críticas contra a organização de Jeová” (A Sentinela, edição norte‑americana, 15/05/84, p. 17) e não proferir palavras “expressando críticas à maneira pela qual os anciãos designados estão lidando com os problemas” (A Sentinela, edição norte‑americana, 15/01/84, p. 16). As testemunhas devem até mesmo “evitar pensamentos inde­pendentes… questionando o conselho que é fornecido pela visível organização de Deus”, e “lutar contra pensamentos independen­tes” (A Sentinela, edição norte‑americana, 15/01/83, p. 22, 27).

Mas, quis o apóstolo Paulo, ao escrever aos coríntios, dizer que deveriam não apenas terminar com suas divisões cismáticas, mas também submeter‑se totalmente a alguns líderes humanos, em inquestionável obediência ‑ como robôs sem mente? Dificilmente! Outra carta de Paulo aos romanos revela que existia espaço sufi­ciente para liberdade individual na igreja primitiva:

Um acha que pode comer de tudo, ao passo que o fraco só come verdura. Quem come não despreze aquele que não come; e aquele que não come não condene aquele que come; porque Deus o acolheu… Há quem faça diferença entre dia e dia e há quem ache todos os dias iguais: cada um siga sua própria convicção (Rom. 14:2‑5, A Bíblia de Jerusalém).

Como cristãos, nós devemos certamente estar unidos no funda­mento de nossa fé, todos unidos em seguir a Cristo como Senhor e tendo‑o como nosso Salvador, mas existindo também espaço para diversidade. Poderíamos até mesmo discordar em questões a ponto de exigir uma reunião, sem a presença dos que têm opinião diferente. Por exemplo, seria difícil para aqueles que comem carne e para os vegetarianos compartilhar de um banquete, e aqueles que não observam um “dia santo”, em particular, normalmente não participariam do culto com outros que o celebram. Mas tais dis­cordâncias não deveriam permitir que se quebre o elo de amor que nos une como irmãos e irmãs em Cristo. Mesmo que nosso irmão pense de maneira diferente sobre certos assuntos, nós deveríamos acolher “o fraco sem discutir suas opiniões” (Rom. 14:1,  A Bíblia de Jerusalém).  Mostre à  testemunha  de Jeová que isso não é conformidade, mas amor, que é “o perfeito vínculo de união” (Col. 3:14, Tradução do Novo Mundo).

Ao discutir sobre este problema com a testemunha, você deve admitir livremente que os cristãos lamentam as divisões que infestam a igreja. Algumas dessas divisões são devidas a tradições que se desenvolveram através dos séculos em diferentes localidades devido à separação geográfica e barreiras idiomáticas. Outras são o resultado de diferenças sinceras de opinião entre homens que igual­mente respeitam a Bíblia e aceitam o senhorio de Cristo, mas que chegaram a diferentes conclusões nas áreas sobre o que a Escritura fala ambiguamente ou nada‑fala. A solução, entretanto, não repousa sobre alguns líderes de organizações que se levantam e anunciam ao mundo: “Todos devem concordar conosco! Assim nós teremos todos ‘uma mente’ como verdadeiros cristãos.” Esta abor­dagem foi tentada muitas vezes, e isto leva, apenas, a divisões ainda mais profundas. De fato, existem vários grupos religiosos exclusivistas que se declaram “os únicos cristãos verdadeiros”; a Sociedade Torre de Vigia é apenas uma entre muitas. Encontrar aqueles que concordam com você, e então excluir o resto do mundo, não é a fórmula para a verdadeira unidade cristã.

Sugira também à testemunha que observe uma área na qual a Sociedade Torre de Vigia viola especificamente a admoestação bíblica. A questão dos feriados ou dias santos. Como nós notamos acima, Romanos 14:5,6 dá margem para cristãos individualmente observarem dias especiais que outros cristãos talvez não observem. Ainda assim, as testemunhas de Jeová que ousarem celebrar Natal ou Páscoa ou Dia de Ação de Graças (ou mesmo Dia das Mães!) são imediatamente colocadas em julgamento perante um Comitê Judicial e desassociadas ‑ totalmente separadas dos amigos e da família.

Fonte de pesquisa: “As Testemunhas de Jeová refutadas versículo por versículo”, David A. Reed; trad. de Marcelus Virgílius Oliveira e Valéria Oliveira. ‑ 2. ed. Rio de janeiro: JUERP, 1990.


Cada autor é responsável pelo conteúdo do artigo.

Deixe seu comentário

Comentários fechados neste artigo.

Advertisement