Esqueceu a senha?

TJs: “Jesus era meramente um anjo”

por Artigo compilado - sex abr 17, 9:43 am

tj carrinho

Daniel 10‑13‑21, 12:1- “…e eis que veio ajudar‑me Miguel, um dos mais destacados príncipes . …Miguel, vosso príncipe… E durante esse tempo pôr‑se‑á de pé Miguel, o grande príncipe que está de pé a favor de teu povo.” (Tradução do Novo Mundo)

A Sociedade Torre de Vigia ensina às testemunhas de Jeová que Jesus era meramente um anjo, que nasceu como um ser humano, morreu como um sacrifício pelo pecado, e ressurgiu como um anjo uma vez mais. Elas se referem a ele como “Jesus Cristo, que nós entendemos das Escrituras Sagradas ser o arcanjo Miguel” (A Sen­tinela, 15/02/79, p.31, edição norte‑americana). Mas é realmente isto  o que a Bíblia ensina? Ou, antes, é isto um ensinamento que os líderes da Torre de Vigia sobrepõem às Escrituras?

A Palavra inspirada de Deus menciona Miguel cinco vezes ‑como (1) “um dos mais destacados príncipes” (Dan. 10:13, Tra­dução do Novo Mundo); (2) “vosso príncipe”[do povo de Daniel]; (3) “o grande príncipe que está de pé a favor dos filhos de teu povo”[povo de Daniel] (Dan. 12:1, Tradução do Novo Mundo); (4) “o arcanjo” que “teve uma controvérsia com o Diabo e disputava o corpo de Moisés, não se atreveu a lançar um julgamen­to contra ele em termos ultrajantes” (Jud. 9, Tradução do Novo Mundo); e (5) um participante do conflito celestial quando “Miguel e seus anjos batalhavam contra o dragão” (Rev.[Apocalipse] 12:7, Tradução do Novo Mundo). Qual destes versículos afirma que Miguel é Jesus Cristo? Nenhum deles! É necessário ler as Escri­turas e mais um complicado argumento das testemunhas de Jeová para se chegar a esta conclusão.

A Sociedade Torre de Vigia também procura sustentação em outro versículo que não usa o nome de Miguel, mas diz: “porque o próprio Senhor descerá do céu com uma chamada dominante, com voz de arcanjo e com a trombeta de Deus” (1 Tess. 4.16, Tradução do Novo Mundo). Mas, se usar a voz do arcanjo faz de Deus um arcanjo, então ter a trombeta de Deus faz do arcanjo Deus ‑embora os líderes da Torre de Vigia mencionem apenas a primeira parte do versículo.

A Bíblia ensina em algum lugar que Jesus Cristo é um mero anjo? Ao contrário, o primeiro capítulo de Hebreus foi escrito, em sua totalidade, para demonstrar a superioridade do Filho de Deus comparado aos anjos. Versículo após versículo contrasta os anjos com: …pelo Filho, a quem constituiu herdeiro de todas as coisas, e por quem fez também o mundo; sendo ele o resplendor da sua glória e a expressa imagem do seu Ser, e sustentando todas as coisas pela palavra do seu poder, havendo ele mesmo feito a purificação dos pecados, assentou‑se à direita da Majestade nas alturas, feito tanto mais excelente do que os anjos, quanto herdou mais excelente nome do que eles. Pois a qual dos anjos disse jamais: Tu és meu Filho, hoje te gerei? E outra vez: Eu lhe serei Pai, e ele me será Filho? E outra vez, ao introduzir no mundo o primogênito, diz E todos os anjos de Deus o adorem. Ora, quanto aos anjos, diz: Quem de seus anjos faz ventos, e de seus ministros labaredas de fogo. Mas do Filho diz: O teu trono, ó Deus, subsiste pelos séculos dos séculos, e cetro de equidade é o cetro do teu reino. E: tu, Senhor, no princípio fundaste a terra… (Heb. 1:2‑8,10).

O Filho é o “reflexo” da glória do pai e a “exata” representa­ção de seu próprio ser, e sustentando todas as coisas pela palavra de seu poder ‑ algo que nenhum anjo poderia fazer no mesmo segundo ‑ a tradução da Torre de Vigia de Hebreus 1:3(Tradução do Novo Mundo).

Além disso, os anjos bons se recusam veementemente a aceitar adoração. Quando o apóstolo João se prostrou aos pés do anjo para o adorar, o anjo o repreendeu dizendo: “Toma cuidado! Não faças isso! Adora a Deus” (Rev. [Apocalipse] 22:8,9, Tradução do Novo Mundo). Mas o mandamento do Pai aos anjos a respeito do Filho é: “e todos os anjos de Deus o adorem” (Heb. 1:6, Tradução do Novo Mundo, 1961).

Em edições mais recentes, a Sociedade Torre de Vigia mudou a palavra “adorem” para “reverenciem” em Hebreus 1:6. Ainda assim, a despeito de como a palavra é traduzida, a mesma palavra grega proskuneo é usada tanto em Apocalipse 22:8,9 e Hebreus 1:6. A proskuneo (adoração ou obediência) que os anjos se recusam a aceitar, mas dizem que é devida apenas a Deus, é a mesma proskuneo (adoração ou obediência) que o Pai ordena aos anjos que seja prestada ao Filho em Hebreus 1:6. Assim, o Filho não pode ser um anjo, ele é Deus. (Veja as considerações sobre Hebreus 1:6.)

As pessoas que deixam de seguir a Sociedade Torre de Vigia, e começam a seguir a Jesus Cristo, logo percebem que ele não é meramente um anjo. Esta compreensão é importante para que elas “honrem o Filho, assim como honram o Pai” (João 5:23, Tradução ,do Novo Mundo).

Fonte de pesquisa: “As Testemunhas de Jeová refutadas versículo por versículo”, David A. Reed; trad. de Marcelus Virgílius Oliveira e Valéria Oliveira. ‑ 2. ed. Rio de janeiro: JUERP, 1990.


Cada autor é responsável pelo conteúdo do artigo.

Deixe seu comentário

Comentários fechados neste artigo.

Advertisement