Esqueceu a senha?

Vinho Novo em Odres Velhos (2)

por Prof. Paulo Cristiano da Silva - seg mar 07, 1:08 pm

namiradaverdade_480px

Uma resposta a Leandro Quadros sobre Colossenses 2.16

Na primeira parte de nosso estudo foi realizada uma sucinta análise da problemática envolvendo Colossenses 2.16 na interpretação da Igreja Adventista do Sétimo Dia. O presente artigo terá por base a parte 1 do artigo “Os sábados de Colossenses 2.16” feita pelo senhor Leandro Quadros.[1]

Nessa introdução ele propõe mostrar que há três possíveis interpretações para o versículo em lide, conforme enumerado abaixo:

1) O sábado de Colossenses é o sábado semanal e foi cancelado na cruz, posição essa defendida pelos evangélicos em geral;

2) O sábado de Colossenses, apesar de ser o sábado semanal, não foi cancelado na cruz, posição defendida principalmente pelo teólogo adventista Samuel Bacchiocchi e;

3) O sábado de Colossenses é o “sábado cerimonial” e foi cancelado na cruz, posição tradicional da Igreja Adventista.

Após listar essas três posições acima, o senhor Leandro Quadros faz uma breve introdução contextualizando a epístola aos Colossenses. Até aí tudo bem. O problema é que, antes mesmo de analisar a sentença de cada uma e seus méritos, ele induz o leitor a um pré-conceito, rechaçando de vez a primeira possibilidade, porque em sua opinião,“seja o que for que Paulo esteja combatendo na carta, não é a observância correta de dias religiosos. Isso precisa ficar bem claro logo de início para podermos fazer um estudo sério e honesto da Palavra de Deus.” (destaque nosso)

Ei, alto lá! Como o senhor sabe que o que Paulo está combatendo não é a observância correta de dias religiosos? Esta é uma falácia lógica tipo non sequitur, pois não se segue que, pelo fato de Paulo combater doutrinas sobre a negação da divindade de Cristo e sua supremacia, não estejam também incluídos rituais sobre dias religiosos como de fato mostra Cl 2.16. O combate à heresia colossense encontra-se espalhado por toda a epístola, quer seja no campo da ortodoxia, quer seja no da ortopraxia.

A honestidade intelectual nos impõe o dever de seguir as evidências onde quer que elas nos levem e não contaminar a pesquisa com pressupostos viciantes, induzindo o leitor a um círculo vicioso exegético.

Isso só faz aumentar a suspeita de que o senhor Leandro Quadros permite que seus pressupostos religiosos de antemão determinem a conclusão da sua pesquisa.

Mas a chantagem emocional não para por aí, pois, caso não aceitemos proceder de acordo com a regra pré-estabelecida por Quadros, nosso estudo da Palavra de Deus nunca poderia ser “sério e honesto”. Absurdo! Mas essa é a mensagem que se encontra de modo subliminar em sua conclusão.

Outra das muitas incoerências na argumentação de Quadros é que, no afã de defender o sábado semanal, ele comete vários equívocos dentre eles o de afirmar que “Além disso, o Sábado nunca foi uma heresia para que pudesse ser combatido pelo apóstolo. Se guardar o Sábado fizesse parte das heresias de Colossos, então o próprio Deus foi um ‘herege’ ao criar o mandamento (Gênesis 2:1-3; Êxodo 20:8-11)

Mas se esquece de que pouco antes ele escreveu “Veja a lista de heresias que Paulo refuta” e passa a citar no item (b) Cl 2.16 como “heresia”, mas deliberadamente omite o que está escrito ali. Ora, se Cl 2.16 está tratando de uma heresia e o texto no original menciona o sábado, como então o sábado não é heresia, seu Leandro? Explique-se, por favor!

Ademais, o fato de Deus ter dado o sábado não anula o argumento de sua inutilidade para o cristão. A chamada lei cerimonial também foi dada por Deus, mas nem por isso está ainda vigente, nem mesmo para os adventistas. Ellen White diz que a lei cerimonial foi dada por Cristo, observe:

A lei cerimonial foi dada por Cristo. Mesmo depois que ela não mais devia ser observada, Paulo apresentou-a aos judeus em sua verdadeira posição e valor, mostrando o seu lugar no plano da redenção e sua relação para com a obra de Cristo; e o grande apóstolo declara gloriosa esta lei, digna de seu divino Originador.” (Patriarcas e profetas, 2007, p. 325 – destaque nosso)

Parafraseando, diríamos que “Se os sábados cerimoniais fizessem parte das heresias de Colossos, então o próprio Deus foi um ‘herege’ ao criar o mandamento”, sendo que a interpretação tradicional de sua igreja é que em Cl 2.16 se encontram os denominados “sábados cerimoniais”. A mesma lógica serve igualmente para ambos.

No próximo artigo faremos uma análise do panorama histórico da carta aos Colossenses feito por Leandro Quadros e como ele foi seletivo na abordagem do assunto.

[1] Pode ser conferido aqui: http://novotempo.com/namiradaverdade/os-sabados-de-colossenses-216-parte-1/

Clique aqui e leia o 1° artigo da série

Clique aqui e leia o 3° artigo da série


Cada autor é responsável pelo conteúdo do artigo.

Deixe seu comentário

Advertisement